Por Eduardo Luiz
14/08/2021, 20h56

Bruno Arleu de Araújo expulsou Patrick de Paula quando o jogo estava 0 a 0. Abel e João Martins também foram expulsos; Verdão fica com 32 pontos e Atlético vai a 37.

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Primeiro tempo

Com oito modificações em relação ao time que enfrentou o São Paulo no começo da semana, o Palmeiras iniciou o jogo com a proposta de esperar o Atlético-MG, que por sua vez encontrava dificuldades para passar pelo sistema defensivo alviverde. Sem espaços, aos 8 minutos Vargas arriscou de fora da área, sem perigo para Weverton.

O Verdão respondeu apenas aos 20 minutos, quando Gabriel Veron tocou para Gabriel Menino chutar fraco, nas mãos do goleiro. O jogo era morno até que aos 35 minutos a arbitragem (carioca) resolveu dar uma mão para o time da casa: Patrick de Paula, que já tinha amarelo, escorregou e trombou com Jair. O juiz não assinalou nada, mas talvez pela pressão dos jogadores do Atlético ou por interferência externa, resolveu mostrar o segundo cartão para o camisa 5 Palmeirense.

Operado, o Palmeiras também perdeu o treinador pouco depois, já que Abel Ferreira reclamou muito (com razão) da expulsão de Patrick. E mesmo com um a menos, o Verdão manteve o Atlético-MG controlado. Aos 40 minutos Scarpa cruzou para Willian, mas Jair conseguiu um corte providencial.

Apenas nos minutos finais da etapa inicial a equipe mineira intensificou uma pressão. Aos 43, Vargas soltou a bomba da entrada da área e Weverton resvalou com a ponta dos dedos. Após a cobrança de escanteio, Jair ganhou de Gómez pelo alto e desviou à direita de Weverton.

No último lance antes do intervalo, o Atlético achou o gol: Arana cruzou e encontrou Savarino livre do lado oposto da área para fazer 1 a 0. Nem tem tempo de nova saída. Assim que soou o apito, o árbitro também expulsou o Auxiliar João Martins.

continua após a publicidade

Segundo tempo

O Palmeiras voltou para o segundo tempo com 4 mudanças; entraram Luan, Zé Rafael, Danilo Barbosa e Rony nos lugares de Scarpa, Wesley, Willian e Veron. Abel armou uma linha com 5 defensores e passou a apostar tudo em um eventual contra-ataque.

Jogando tranquilo, o Atlético não se expunha tanto. Aos 7 minutos Guilherme Arana arriscou de longe, Danilo desviou no meio do caminho e deu escanteio de graça pro time da casa. Após a cobrança, Júnior Alanso escorou fraco, nas mãos de Weverton. Aos 16, Arana voltou a encontrar facilidade para atacar pelo lado esquerdo e cruzou rasteiro para a área; ninguém de verde acompanhou a jogada e Savarino dividiu com Weverton para fazer 2 a 0.

Como levou pancada na cabeça na disputa com Savarino, Weverton precisou ser substituído; Jailson foi pro jogo e não contou como quinta alteração já que envolveu um protocolo de concussão. Aos 27 minutos Hulk resolveu testar o novo goleiro Palmeirense, que levou a melhor e espalmou a bomba do camisa 7.

Se com 1 a 0 o Palmeiras já não oferecia perigo, com 2 a 0 o jogo praticamente acabou. Com a vitória assegurada, o Atlético passou a poupar seus principais jogadores e os minutos restantes do jogo foram protocolares.

Com a derrota em Belo Horizonte o time de Abel Ferreira completa 3 rodadas sem vitória no Campeonato Brasileiro, permanece com 32 pontos e vê o adversário abrir 5 pontos de vantagem na liderança.

Terça-feira (17/8) o Palmeiras enfrenta o São Paulo pelo jogo de volta das quartas de final da Libertadores. O clássico será disputado no Allianz Parque, às 21h30.

Notícias relacionadas: