Por Eduardo Luiz
14/08/2021, 22h02

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

A absurda expulsão de Patrick de Paula aos 35 minutos do primeiro tempo do jogo contra o Atlético-MG, em Belo Horizonte, acabou causando um efeito dominó no Palmeiras, já que na sequência o técnico Abel Ferreira também foi expulso por reclamação, e ao final da etapa inicial o auxiliar João Martins foi outro a receber cartão vermelho.

Após a partida, Abel disse que o árbitro Bruno Arleu de Araújo pediu desculpas aos jogadores do Verdão pelo erro cometido, mas já era tarde: “Ao perceber que errou e que errou feio, o árbitro pediu desculpas aos nossos jogadores. Mas, agora, não adianta, porque tem muita coisa em jogo: dinheiro, títulos, nosso trabalho, nossa dedicação, nossos torcedores… Infelizmente, é um lance capital, que tem interferência direta no desenrolar do jogo”.

“Por incrível que pareça, não foi o árbitro. Foi o assistente, o senhor Rodrigo Correa (que mandou dar o segundo cartão). O árbitro tinha tomado uma boa decisão em não dar amarelo ao Patrick, mas, não sei porquê, o bandeira que estava a 40 metros deu instruções ao árbitro para expulsar” completou Abel, ainda sobre o lance da expulsão.

Expulsos, Patrick de Paula, Abel Ferreira e João Martins não poderão trabalhar na próxima rodada do Brasileiro, contra o Cuiabá, no domingo. Antes, porém, todos estarão liberados para a partida de terça-feira contra o São Paulo, em casa, pelas quartas de final da Libertadores.