Por Eduardo Luiz
23/11/2021, 23h33

Verdão esteve à frente no placar por duas vezes, mas cedeu o empate. Wesley e Deyverson fizeram os gols no último jogo antes da final da Libertadores.

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Primeiro tempo

Apenas com Marcos Rocha de titular, já que o lateral está suspenso para a final da Libertadores, o Palmeiras iniciou o jogo melhor que o Atlético-MG. Aos 2 minutos Deyverson enfiou para Wesley chutar forte e parar em boa defesa de Everson. Aos 6, Hulk percebeu Jailson adiantado e tentou do meio-campo, mas errou o alvo. Aos 11 minutos Gabriel Menino cobrou falta, Renan foi no terceiro andar e escorou no canto esquerdo baixo do goleiro, que foi buscar.

A partida era movimentada. Aos 17 minutos, após cobrança de lateral, Hulk finalizou de voleio, a bola bateu em Kuscevic e morreu nas mãos de Jailson. Aos 20 e aos 21 dois lances parecidos; primeiro Wesley e depois Patrick de Paula tentaram surpreender Everson com chutes de muito longe, mas assim como Hulk, não acertaram o alvo.

Melhor em campo, o Verdão enfim abriu o placar aos 27 minutos: Veron deu ótimo passe Para Wesley, o atacante fintou Guga e finalizou com categoria: 1 a 0. Perdendo o jogo, o Atlético-MG foi pra cima. Aos 32 minutos Guga cruzou e Diego Costa finalizou de puxeta, por cima do travessão.

Aos 35 minutos Guilherme Arana tabelou com Jair, Marcos Rocha e Veron vacilaram na marcação, o lateral invadiu a área e soltou a bomba; Jailson deu rebote e Zaracho conferiu: 1 a 1. Nos minutos finais do primeiro tempo a partida ficou tensa, com as duas equipes fazendo muitas faltas. Em uma delas, aos 39 minutos, o time visitante quase virou: Nacho cobrou para a área e Diego Costa escorou de cabeça, à esquerda de Jailson.

continua após a publicidade

Segundo tempo

Sem alterações, o Palmeiras voltou “no pique” para etapa final. Logo no primeiro minuto Patrick de Paula cobrou falta de média distância, nas mãos do goleiro. Aos 7, Gabriel Menino finalizou da entrada da área e Junior Alonso espalmou. Pênalti claríssimo, mas Anderson Daronco só assinalou após indicação do VAR. Sem Raphael Veiga em campo, Patrick de Paula assumiu a responsabilidade e cobrou de maneira idêntica à final do Paulista. Everson pulou do lado certo e fez a defesa. Mal deu tempo para a torcida lamentar. Após cobrança de escanteio executada pelo próprio camisa 5, o goleiro saiu mal e Deyverson escorou para a meta vazia: 2 a 1.

Repetindo o que aconteceu na etapa inicial, porém, o Verdão não conseguiu segurar a vantagem por muito tempo. Aos 15 minutos a bola sobrou para Hulk chutar no canto direito de Jailson: 1 a 1. Nacho, em completo impedimento, desviou da trajetória da bola, mas dessa vez o gol valeu (como valeu o do Fluminense com Cazares em impedimento, mas não o de Patrick de Paula contra o Fortaleza, com Gómez impedido).

O empate deu novo ânimo ao Atlético-MG, que tentou assumir o controle do jogo. Aos 19 minutos Guilherme Arama arriscou de média distância, por cima. Aos 22, após cobrança de falta, Hulk ganhou de Renan pelo alto e escorou na trave. Aos 26 minutos o auxiliar João Martins promoveu três alterações: Jorge por Victor Luis, Veron por Breno Lopes, e Menino por Matheus Fernandes. Dois minutos depois de entrar Victor Luis finalizou de direita, fraco, fácil para o goleiro.

Aos 32 minutos a última mexida no Palmeiras: Wesley deu lugar a Willian. Aos 34, Breno Lopes fez boa jogada pelo lado direito do ataque e cruzou rasteiro; a bola cruzou toda área atleticana até encontrar Victor Luis, que perdeu gol feito. A resposta do Atlético veio aos 36: Keno ganhou disputa com a mão (Daronco não viu, claro) e chutou rente ao travessão. Nos últimos 15 minutos, contando os 6 de acréscimo, Palmeiras e Atlético diminuíram o ritmo e esperaram pelo apito final do juiz.

Com o empate o Verdão encerra a série negativa de três derrotas seguidas no Brasileirão, vai a 59 pontos e mantém a terceira colocação com certa folga para o quarto (6 pontos).

Agora é decisão. Sábado (27/11) o Palmeiras enfrenta o Flamengo em busca do tricampeonato da Libertadores. A final única será disputada em Montevidéu, no Uruguai, às 17h (horário de Brasília).

Notícias relacionadas: