Por Eduardo Luiz
24/11/2021, 00h35

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Com a suspensão de Abel Ferreira, coube a João Martins comandar o Palmeiras à beira do gramado e depois analisar a atuação do time no empate com o Atlético-MG. O auxiliar aprovou o desempenho do Verdão, que teve apenas Marcos Rocha de titular.

“Jogamos contra o time mais forte do campeonato. A tabela diz isso. Tivemos que nos adaptar um pouco. Só tivemos só dois volantes, porque procuramos ter mais largura defensiva. O Danilo Barbosa jogou como zagueiro pela direita” iniciou o auxiliar, explicando a disposição tática da equipe.

“Para o time sair com a vitória hoje, faltou converter uma das oportunidades que teve e o árbitro anular o gol, que foi mal validado. Se tivesse sido anulado, o jogo teria terminado 2 a 1 e teríamos vencido” completou.

Por fim, João Martins detonou a arbitragem comandada pelo gaúcho Anderson Daronco: “Como é possível que o Palmeiras tenha sido prejudicado pelo terceiro jogo seguido? Essa é a verdade. Admitimos no último jogo que o gol foi muito bem anulado. Quando saiu o gol, o Marcos Rocha viu claramente o que aconteceu, falou com o árbitro. A pressa que teve para buscar a bola no gol e recomeçar o jogo é incompreensível. O VAR só funciona às vezes. Como o árbitro que está a 50 centímetros não vê o jogador do Atlético-MG jogar basquete? Futebol se joga com os pés”.

No sábado (27/11), com força total exceto a Marcos Rocha, o Palmeiras disputará o título da Libertadores contra o Flamengo, em Montevidéu. Três dias depois (30/11) a equipe visitará o Cuiabá pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro.