Por Eduardo Luiz
12/10/2021, 23h31

Jailson, com boas defesas, foi o principal jogador do time de Abel Ferreira, que vai a 40 pontos e perde a terceira colocação do Brasileirão.

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Primeiro tempo

De volta ao 4-3-3, com Kuscevic formando dupla de zaga com Luan, e Luiz Adriano compondo o trio ofensivo ao lado de Dudu e Rony, o Palmeiras iniciou o jogo esperando o Bahia, que por sua vez não mostrava muita criatividade para passar pelo sistema defensivo alviverde. Aos 6 minutos Patrick de Paula enfiou para Dudu arrancar livre em direção ao gol e parar em boa defesa de Danilo Fernandes. Se o gol saísse, no entanto, seria anulado por impedimento do camisa 43.

Mesmo irregular, a chance criada fez o Bahia reforçar a marcação no meio-campo, o que tornou o jogo morno. Aos 21 minutos Jorge arriscou de longe, fraco, fácil para o goleiro. Dois minutos depois foi a vez de Dudu fazer o mesmo. O Bahia foi finalizar pela primeira vez apenas aos 28 minutos: Daniel experimentou da entrada da área e viu a bola passar perto do travessão de Jailson.

Aos 31 minutos Raphael Veiga cobrou falta e Rony desviou de cabeça, por cima. Aos 35, Raí aproveitou bobeada da zaga Palmeirense e chutou para fora. Aos 37 minutos a melhor chance do primeiro tempo: após passe errado da defesa do Bahia, Dudu dominou e tocou para Luiz Adriano, que foi prensado; o camisa 10 brigou pela bola, recuperou e chutou forte, por baixo, exigindo ótima defesa de Danilo Fernandes.

Antes do intervalo o Verdão chegou mais duas vezes; aos 42 a bola sobrou para Dudu carregar e bater cruzado, para fora. No minuto seguinte o camisa 43 deu lindo passe de calcanhar para Raphael Veiga avançar até a entrada da área e bater para fora. Luiz Adriano e Rony, livres, um de cada lado, ficaram pedindo o passe.

continua após a publicidade

Segundo tempo

O Palmeiras voltou para o segundo tempo com Renan no lugar de Kuscevic, que saiu lesionado. Uma nova lesão de um Palmeirense, aos 13 minutos, originou em boa chance de gol para o Bahia: Gabriel Menino torceu o tornozelo com a bola dominada, o adversário puxou rápido contra-ataque que terminou com Gilberto chutando forte e parando em excelente defesa de Jailson.

Aproveitando a vantagem numérica em campo, o Bahia voltou a levar perigo aos 15 minutos: Nino Paraíba cruzou e Felipe Melo se antecipou a Gilberto, mandando para escanteio. Aos 16, Wesley entrou no lugar de Menino. O time ainda se reorganizada em campo quando os mandantes voltaram a ameaçar a meta de Jailson após erro de passe de Luan; Daniel chutou forte e o goleiro Palmeirense evitou o gol.

Só dava Bahia. Aos 20 minutos Juninho Capixaba cruzou e Raí escorou de cabeça, para fora. Para tentar arrumar a equipe, aos 24 minutos o técnico Abel Ferreira promoveu duas alterações: Luiz Adriano por Deyverson, e Patrick de Paula por Danilo Barbosa. Dois minutos depois o gol quase saiu. Para o Bahia. Lucas Mugni chutou no canto esquerdo baixo de Jailson, que fez milagre.

Como as mexidas não surtiram efeito, aos 32 Abel resolveu reforçar a marcação trocando Dudu por Matheus Fernandes. Aos 37 minutos Wesley levantou demais o pé em disputa com Guedes e foi corretamente expulso. Jogando mal e com um homem a menos, o Palmeiras passou a defender como um prato de comida o pontinho do empate.

Nos minutos finais o Verdão estacionou um ônibus na frente da área. Aos 44, na única forma que encontrou para tentar o gol, a bola aérea, o Bahia quase conseguiu vencer, e seria com gol contra de Rony após cruzamento de Juninho Capixaba. Mas o destino resolveu não ser tão cruel.

Com o empate em Salvador o time de Abel Ferreira vai a 40 pontos e perde pelo menos uma posição na classificação do Brasileirão; dormirá em quarto, podendo cair para sexto com o complemento da rodada.

Domingo (17/10) o Palmeiras recebe o Internacional no Allianz Parque. O jogo será disputado às 16h.

Notícias relacionadas: