Por Eduardo Luiz
10/03/2022, 22h36

Gol de Rony, no começo do clássico, garantiu mais três pontos ao Verdão no estadual. Time de Abel Ferreira também já assegurou a liderança do grupo.

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Primeiro tempo

Com força máxima, e com Wesley de titular no lugar de Gustavo Scarpa, o Palmeiras iniciou a partida tomando a iniciativa. Aos 5 minutos, Dudu rolou para Raphael Veiga em cobrança de falta ensaiada, e o meia chutou por cima do travessão. Aos 7, após cruzamento de Piquerez, a defesa sãopaulina afastou mal, Raphael Veiga carimbou o zagueiro e na sobra Wesley mandou na trave.

Só dava Verdão. Aos 9 minutos Marcos Rocha cruzou, Rony mergulhou de cabeça e também acertou a trave, mas desta vez a bola bateu nas costas de Tiago Volpi e entrou: 1 a 0. Após abrir o placar, o time do técnico Abel Ferreira cedeu terreno ao adversário, que por sua vez só tinha as bolas paradas como arma (algumas inventadas pelo árbitro).

Jogando no erro adversário, o Palmeiras chegou ao segundo aos gol 26 minutos: Dudu deu um passe espetacular para Rony fuzilar a meta de Volpi, mas o camisa 10 estava ligeiramente impedido e o gol foi corretamente anulado tanto pela assistente de campo quanto pelo VAR.

O São Paulo só conseguiu levar perigo à meta de Weverton na reta final da etapa inicial. Aos 34, após cobrança de falta, Diego Costa escorou por cima do travessão. Aos 47, o Verdão perdeu a bola após cobrança de lateral e Rodrigo Nestor soltou a bomba; o goleiro Palmeirense espalmou e na sobra Marcos Rocha protegeu até o companheiro agarrar a bola.

continua após a publicidade

Segundo tempo

No segundo tempo, sem mudanças, os dois times voltaram com a mesma postura: o Palmeiras segurando a vantagem e o São Paulo tentando o empate na base da pressão. Aos 6 minutos Gabriel Sara arriscou de fora da área, à direita de Weverton. Aos 18, Rodrigo Nestor cobrou falta de longe, e Weverton, que não quis barreira, espalmou. No rebote o goleiro também segurou a conclusão de Calleri, que estava impedido.

Aos 24 minutos o técnico Abel Ferreira mexeu na equipe. Dudu, Zé Rafael e Wesley deram lugar a Gabriel Veron, Jailson e Breno Lopes, respectivamente. A intenção do português era reforçar a marcação e conseguir sair nos contra-ataques. Não deu certo, já que o rival seguiu melhor. Aos 30, Marquinhos chutou de muito longe e só não encobriu Weverton porque a trave impediu.

Diante da apatia do time, aos 31 minutos Abel promoveu outra alteração: Raphael Veiga, sumido, deu lugar a Atuesta. O que fez o Verdão conseguir aliviar a pressão do São Paulo, no entanto, foi o segundo cartão amarelo que Rafinha recebeu após cometer falta dura em Veron. Com um homem a menos, o adversário perdeu intensidade. Aos 40, no “último suspiro”, Reinaldo cobrou falta e Luciano desviou por cima.

Nos minutos finais, já com Rafael Navarro em campo na vaga de Rony, o Palmeiras conseguiu aumentar a posse de bola e manteve o São Paulo distante da sua meta até o apito final do juiz.

Com a vitória no Morumbi, o Verdão encerra um jejum de 25 anos sem vencer o rival em seu estádio pelo estadual, garante a classificação antecipada para as quartas de final do Campeonato Paulista e também a liderança do Grupo C – foi a 23 pontos.

Domingo (13/3), às 18h30, o Palmeiras disputa outro clássico. O rival da vez será o Santos, no Allianz Parque.

Notícias relacionadas: