Por Eduardo Luiz
09/04/2022, 23h22

Time do técnico Abel Ferreira joga mal e é superado por 3 a 2 em pleno Allianz Parque. Foi a primeira derrota em casa na temporada.

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Primeiro tempo

Com força máxima – exceção feita a Piquerez, o Palmeiras iniciou o jogo sendo surpreendido pelo Ceará, que partiu para o ataque. Aos 35 segundos Fernando Sobral chutou rasteiro, nas mãos de Weverton. Aos 2 minutos Scarpa cometeu falta perto da área, Vina cobrou e viu a bola cruzar toda área alviverde até Zé Rafael mandar para escanteio.

A primeira finalização do Verdão surgiu aos 5 minutos: Scarpa cobrou escanteio e Murilo desviou por cima do travessão. Parecia que o time se arrumaria. Mas ficou na impressão… Aos 6, o Ceará armou rápido contra-ataque com Mendoza; Gómez não conseguiu deixar o adversário impedido, ele avançou e cruzou para a área, onde Murilo e Jorge se atrapalharam; a bola bateu no lateral e entrou: 0 a 1.

Atrás no placar, o Palmeiras tentou reagir prontamente. Aos 10 minutos Scarpa recebeu de Jorge e cruzou para Dudu, que cabeceou por cima. Aos 12, os visitantes voltaram a levar perigo em um rápido contra-ataque; Mendoza recebeu em posição duvidosa e conseguiu um escanteio. Vina cobrou fechado, Weverton evitou gol olímpico, na sobra Mendoza concluiu, Marcos Rocha salvou mas a bola voltou para o atacante rival, que desta vez não desperdiçou: 0 a 2.

Nocauteado, o time de Abel Ferreira demorou a assimilar o que estava acontecendo. Por sorte, depois do segundo gol o Ceará recuou. Foi a senha para o Verdão esboçar uma reação. Aos 22 minutos, em bela jogada trabalhada pelo lado direito do ataque, Raphael Veiga cruzou, Dudu fez o corta luz e Zé Rafael mandou no ângulo direito: 1 a 2. Aos 28, Scarpa teve boa chance para empatar em cobrança de falta, mas a bola desviou na barreira e saiu.

Aos 32 minutos Marcos Rocha foi à linha de fundo e cruzou sob medida para Rony, que concluiu para fora. Aos 34, Fernando Sobral soltou a bomba de fora da área e fez Weverton trabalhar. Nos últimos 15 minutos do primeiro tempo, contando os 5 de acréscimo, o Ceará abusou do antijogo e para isso contou com a complacência do árbitro, que permitiu porrada e cera à vontade da equipe visitante.

continua após a publicidade

Segundo tempo

O Palmeiras voltou para a etapa final com Atuesta e Rafael Navarro nos lugares de Zé Rafael e Jorge, respectivamente. A intenção era sufocar o Ceará para buscar o empate e depois a virada, mas o adversário voltou a abusar da cera e praticamente impediu que tivesse jogo nos primeiros 5 minutos. Aos 9, Scarpa levantou na área, Atuesta disputou e a bola sobrou para Rafael Navarro perder chance incrível.

Aos 12 minutos Scarpa cobrou escanteio e Murilo escorou por cima do travessão. Pouco depois, aos 15, Abel trocou Marcos Rocha por Mayke. Aos 18 minutos Scarpa arriscou de longe e exigiu boa defesa de João Ricardo. Aos 19, o árbitro não assinalou falta clara em Scarpa na entrada da área, o Ceará puxou contra-ataque e só não fez 3 a 1 porque o chute de Vina desviou em Mayke.

Já na base da vontade, uma vez que taticamente o time estava completamente desorganizado, o Palmeiras seguiu tentando o empate. Aos 24 minutos Scarpa chutou fraco, fácil para o goleiro. Aos 25, Atuesta errou passe na defesa, o adversário foi rápido para armar um ataque que terminou com Erick perdendo boa oportunidade. No lance seguinte o mesmo Erick fez a festa pra cima da defesa Palmeirense e só não marcou um golaço porque Weverton fez boa defesa.

Sentindo uma torção no pé, Dudu pediu para sair aos 27 minutos. Giovani entrou em seu lugar, e Abel aproveitou a parada para também trocar Raphael Veiga por Gabriel Veron. A partir de então o jogo virou uma pelada. Aos 28, Nino Paraíba cruzou para Mendoza chutar para fora, com perigo para Weverton. Aos 31 minutos Atuesta cobrou escanteio e Gómez cabeceou à esquerda do goleiro.

Com muitos espaços para contra-atacar, o Ceará matou o jogo aos 40 minutos: Scarpa falhou ao tentar um cruzamento, o adversário avançou em 3 contra 2 e Lucas Prado finalizou para o gol após rebote de Weverton em chute de Erick: 1 a 3.

Nos minutos finais Gómez virou ponta, Murilo virou centroavante, e o Verdão ainda conseguiu descontar num pênalti claro sofrido por Veron que o árbitro fingiu não ver, mas que não passou pelo VAR; Gómez fez o 2 a 3 aos 50, e pouco depois a partida acabou.

A derrota para o Ceará na estreia do Brasileirão encerra uma longa invencibilidade alviverde no Allianz Parque. Em 2022 o time tinha 100% de aproveitamento em 10 jogos.

Na terça-feira (12/4), às 21h30, o Palmeiras volta a atuar pela Libertadores. O adversário será o Independiente Petrolero, em casa.

Notícias relacionadas: