Por Eduardo Luiz
06/10/2022, 23h35

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Aos 20 minutos do segundo tempo do jogo contra o Coritiba o Allianz Parque explodiu; não foi mais um gol, mas sim Endrick chamado pelo auxiliar João Martins para estrear como profissional. O garoto, de 16 anos, entrou aos 22 minutos no lugar de Rony e teve duas boas chances para fazer um gol, mas em ambas o goleiro Gabriel evitou.

Ao final da partida, o fenômeno da base alviverde falou sobre o tão esperado momento: “Agradecer a Deus, sabia que tudo seria no tempo e ele colocaria na cabeça do Abel. Ele estava fazendo o certo, me adaptando ao grupo e foi tudo certo, estrear na frente da torcida. Ele falou que teria o momento certo, estava com ele porque é meu primeiro treinador profissional e estou com ele”, iniciou o jogador, em entrevista ao canal Premiere.

“Essa torcida é maravilhosa, é a torcida que quero para a minha vida, sou torcedor Palmeirense. Estava com essa ansiedade para ver essa torcida gritar o meu nome e é muito bom. Quero fazer tudo por eles”, completou o atacante, que ainda lamentou o fato de seu avô não ter presenciado a estreia.

“Foi uma semana difícil, perdi o meu avô na semana da final do Brasileirão Sub-20, tinha na cabeça meu avô que queria que eu jogasse no profissional. Queria fazer o gol para ele, para o meu pai que perdeu meu avô e fazer a felicidade dele lá em cima”, comentou.

Na sequência Endrick projetou sua carreira; primeiro ele pretende fazer sucesso no Palmeiras, depois ganhar o mundo, e por fim encerrar a carreira no clube do coração.

“Quero chegar ao topo com o Palmeiras. O Palmeiras nunca está feliz com os títulos, queremos sempre mais. Se eu for jogar na Europa um dia, voltar para jogar aqui e ser campeão mundial, da Libertadores, do Brasileiro e de tudo” encerrou.