Por Eduardo Luiz
19/02/2021, 22h33

Jogando no Morumbi, Verdão teve um pênalti sonegado no primeiro tempo, saiu atrás do São Paulo mas buscou a igualdade com Rony aos 47 do segundo tempo.

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Primeiro tempo

Com praticamente força máxima – de titulares apenas Danilo e Gabriel Menino não estavam em campo, o Palmeiras iniciou o clássico com mais posse de bola que o São Paulo, mas sem conseguir criar jogadas de perigo. O rival, por sua vez, também não incomodava, o que tornou os primeiros 15 minutos muito chatos.

O panorama ameaçou mudar justamente aos 15 minutos, quando Viña lançou Luiz Adriano; o atacante foi agarrado por Bruno Alves dentro da área, mas o pênalti claro foi ignorado pelos árbitros de campo e de vídeo. Inexplicável. Aos 22, Raphael Veiga enfiou para Patrick de Paula e o volante ajeitou para Willian, que furou.

O Verdão seguia melhor. Aos 23 minutos Rony cruzou para Luiz Adriano, livre entre os zagueiros, escorar de cabeça à esquerda de Tiago Volpi. Quando o time do técnico Abel Ferreira ameaça crescer, o clássico voltou a esfriar. Apenas no minuto 39 é que aconteceu outra finalização, novamente alviverde, com Patrick de Paula, que errou o alvo.

Com remotas chances de título, o São Paulo só foi ameaçar a meta de Weverton aos 47 minutos: Juanfran cruzou, Luciano fez a casquinha para Igor Gomez dominar e bater com estilo, por cima do travessão. No primeiro tempo foi só.

continua após a publicidade

Segundo tempo

Sem mudanças, os dois times voltaram para a etapa final no mesmo ritmo, ou seja, quase sem nenhum ritmo. Aos 10 minutos Raphael Veiga cobrou escanteio, a defesa afastou parcialmente e Felipe Melo escorou fraco, fácil para o goleiro. No lance seguinte Willian errou um passe no campo de defesa, o São Paulo foi rápido para armar a jogada que terminou com Tchê Tchê batendo sem perigo, à direita de Weverton.

A falta de atitude do Palmeiras cansou o técnico Abel Ferreira apenas aos 15 minutos do segundo tempo, foi quando ele trocou Willian por Breno Lopes. Aos 16, após rebote de Tiago Volpi, Patrick de Paula tentou um gol por cobertura de cabeça e não foi feliz por muito pouco. A chance perdida e a alteração, no entanto, não fizeram o Verdão acordar.

Aos 27 minutos, num ataque despretensioso do São Paulo, Toró cruzou, Mayke abriu o braço dentro da área e a bola tocou em sua mão; o VAR – que estava desligado no primeiro tempo, indicou o pênalti. Luciano cobrou e abriu o placar: 1 a 0. Precisou ficar atrás no placar para o Palmeiras buscar o ataque. Aos 30 minutos Raphael Veiga experimentou de fora da área e viu a bola passar perto da trave esquerda do goleiro.

Para tentar ao menos o empate, Abel promoveu mais duas alterações aos 37 minutos: Lucas Lima e Scarpa entraram nos lugares de Raphael Veiga e Patrick de Paula, respectivamente. O time passou a rondar mais a área adversária e acabou recompensado aos 47 minutos: Rony recebeu de Scarpa, fintou Juanfran e soltou a bomba; a bola desviou em Luan (do São Paulo) e entrou: 1 a 1.

Com o empate o Palmeiras chega a 57 pontos e permanece na sexta colocação do Brasileirão, mas de quebra sepulta qualquer possibilidade de título do rival.

A maratona do Verdão não tem fim. Na segunda-feira (22/2) o adversário será o Atlético-GO, às 18h, no Allianz Parque.

Notícias relacionadas: