Por Eduardo Luiz
19/02/2021, 23h56

Weverton: 5,0
Sem trabalho com as mãos, foi acionado mais do que deveria para jogar com os pés.

Mayke: 4,5
Ganhou a posição de Marcos Rocha, mas não foi bem. Ainda cometeu um pênalti bobo.

Luan: 5,0
Tentou uns 37 lançamentos. Acertou 1.

Gómez: 5,5
Pouco trabalho, mas a garra de sempre.

Viña: 5,5
Queria jogar, mas não tinha com quem.

Felipe Melo: 5,5
Jogou com a seriedade que se exige para um clássico.

Patrick de Paula: 5,0
Faltou objetividade. Tem abusado dos toques de lado e para trás.

Scarpa: –
Entrou muito tarde.

Raphael Veiga: 5,0
Foi visto em campo apenas num chute que levou certo perigo para o goleiro, já aos 30 minutos do segundo tempo.

Lucas Lima: –
Pouco mais de 10 minutos em campo.

Willian: 3,0
Já tinha ido mal contra o Coritiba. Foi mal de novo contra o São Paulo. E segue como titular. Por que, Abel?

Breno Lopes: 4,0
Teve mais de 30 minutos para mostrar serviço, mas não aproveitou.

Rony: 6,0
Fominha, perdeu quase todas jogadas até fazer o gol do empate no acréscimo do segundo tempo num chute desviado por Luan (do São Paulo).

Luiz Adriano: 6,0
Foi o atacante que mais incomodou a defesa do São Paulo, dentro e fora da área. Sofreu um pênalti escandaloso no primeiro tempo que a arbitragem não quis dar.

Abel Ferreira: 4,5
Perdeu o foco ao reclamar muito com a arbitragem (com razão, mas passou do ponto). Armou mal o time com Willian novamente de titular e demorou demais para mexer – está virando rotina. Tem uma semana para rearrumar a casa e resgatar o futebol propositivo do Palmeiras que marcou o começo do seu trabalho. O desempenho dos últimos jogos – com o time lento, acionando toda hora Weverton, abusando dos chutões e só tomando atitude de buscar o gol após ficar em desvantagem, lembra muito o time do Luxa.