Por Eduardo Luiz
25/04/2021, 21h52

Com apenas 2 titulares, Verdão perdeu muitos gols (um de pênalti) e acabou superado por 2 a 1. Time de Abel Ferreira tem 5 pontos a menos que o Novorizontino.

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Primeiro tempo

O jogo começou movimentado no Allianz Parque, com as duas equipes procurando o gol. Aos 4 minutos Fabrício bateu cruzado, à direita de Weverton, um dos dois titulares escalados por Abel Ferreira (o outro foi Viña). A resposta do Verdão não demorou: aos 4, Pedro Bicalho – estreante da noite, tocou para Giovani cruzar para Esteves, que de direita bateu com perigo, para fora. No minuto seguinte Giovani apareceu novamente como garçom, desta vez servindo Zé Rafael, que chutou fraco, nas mãos de Alex Muralha.

Aos 8 minutos, após cobrança de escanteio, Danilo Boza subiu sozinho e escorou para fora. Logo na sequência Daniel Borges cruzou forte, Weverton deu rebote para o meio da área e Cássio isolou. Aos 11 minutos Viña cruzou sob medida para Giovani, que na cara do goleiro chutou por cima. Aos 15, Zé Rafael chutou fraco, a bola voltou pra ele, que tentou de novo; desta vez Papagaio interceptou e chutou para fora, com desvio.

A partida era lá e cá. Aos 23 minutos, depois de rebote de escanteio, Moraes experimentou da entrada da área e errou o alvo. Aos 25, Giovani fintou seu marcador e soltou a bomba; a bola sofreu um leve desvio no meio do caminho e explodiu no travessão. Aos 26 minutos Pedro Bicalho deu ótimo passe para Papagaio, que finalizou forte e parou em milagre de Muralha. E como quem não faz toma…

Aos 28 minutos Alex Muralha cobrou rapidamente um tiro de meta, Garcia perdeu a disputa pelo alto e a bola sobrou para Moraes avançar livre e cruzar para a área, onde dois atletas do Mirassol esperavam também livres; Fabrício aproveitou: 1 a 0. Pouco depois, aos 30, após outro vacilo de Garcia na marcação, Moraes teve a chance para ampliar, mas chutou alto demais.

Mesmo sem a mesma intensidade do começo do jogo, o Verdão seguiu em busca do gol de empate nos minutos finais, mas só conseguiu criar uma boa oportunidade: aos 36 minutos Giovani cobrou falta, Viña desviou de cabeça e exigiu outra ótima defesa de Muralha, o principal personagem do primeiro tempo.

continua após a publicidade

Segundo tempo

O Palmeiras voltou para a etapa final com Gabriel Menino no lugar de Zé Rafael, e Gabriel Silva na vaga de Pedro Bicalho. Não deu tempo para as alterações surtirem efeito porque logo aos 2 minutos, num lançamento de Oyama, Henri perdeu o tempo de bola e deixou Diogo arrancar livre; o atacante ficou cara a cara com Weverton e tocou com categoria na saída do goleiro: 2 a 0.

Aos 5 minutos Garcia cruzou e Papagaio desviou de cabeça, por cima do travessão. No minuto seguinte Abel Ferreira promoveu mais uma mexida no Verdão: Henri deu lugar a Marcelinho. Aos 7, Menino recebeu na entrada da área e chutou alto demais. A melhor opção seria o passe para Garcia, que estava livre.

Explorando as falhas do Palmeiras, o Mirassol teve outra oportunidade aos 13 minutos: Pedro Lucas recebeu na entrada da área e chutou forte; Weverton defendeu em dois tempos. Aos 14, após dividida forte com Alan Empereur, Neto Mora recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso.

Com um homem a mais, o Verdão foi para cima do adversário. Aos 16 minutos Marcelinho cruzou e Gabriel Silva dividiu com Muralha, que levou a melhor. Aos 18, Marcelinho tentou resolver sozinho ao chutar sem direção após fintar um marcador. Na sequência Abel queimou as últimas substituições a que tinha direito: Esteves por Newton, e Fabinho por Wesley.

Quatro minutos depois de entrar o panamenho Newton criou uma boa chance: ele ganhou no corpo do zagueiro e cruzou sob medida para Papagaio, que livre de marcação furou a cabeçada. Aos 23, Gabriel Silva arriscou da entrada da área, mas errou o alvo. E mesmo com 1 jogador a menos o Mirassol seguiu sendo perigoso: aos 24 minutos Moraes fez fila na desorganizada defesa alviverde e chutou buscando o ângulo direito de Weverton, que foi buscar.

Aos 29 minutos Viña cruzou e Newton escorou fraco, fácil para Muralha. No lance seguinte o lateral uruguaio finalizou cruzado, sem perigo para o goleiro. Aos 34, Giovani tentou um passe na área e Ernandes interceptou com a mão. Pênalti bem marcado e pateticamente cobrado por Gabriel Menino, que recuou para o goleiro. Aos 36 minutos Gabriel Silva chutou rasteiro e exigiu boa defesa de Muralha.

Mesmo abalado emocionalmente e sem qualquer tática, o Verdão seguiu tentando descontar. Aos 40 minutos Marcelinho fez boa jogada individual e tocou para Gabriel Silva chutar rente ao travessão. A 22ª finalização do Palmeiras no jogo aconteceu aos 42, com Marcelinho, e ela teve o destino da maioria das outras: fora.

Com o jogo perdido, os Palmeirense passaram a erras lances bobos. Aos 45 minutos Viña deu a bola no pé de Rafael Silva, que soltou a bomba e parou em boa defesa de Weverton. Aos 48, Lucas Silva também aproveitou desatenção do sistema defensivo e quase fez o terceiro.

Antes da partida terminar Newton ainda exigiu outra boa defesa de Muralha, aos 48, e depois, no último lance, conseguiu descontar após falha do goleiro, que soltou a bola em seus pés: 2 a 1. Mas já era tarde.

A derrota em casa praticamente sela a eliminação do Palmeiras na fase de grupos do Campeonato Paulista, já que está 5 pontos atrás do Novorizontino, e tem 9 a menos que o Red Bull Bragantino. Restam 4 rodadas para o final da primeira fase.

A maratona do Verdão prossegue com o jogo de terça-feira (27/3) contra o Independiente del Valle, às 21h30, no Allianz Parque, pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores.

Notícias relacionadas: