Por Eduardo Luiz
02/05/2022, 09h21

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Sábado, após o Palmeiras derrotar a Juazeirense pelo jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil, o técnico Abel Ferreira quebrou o protocolo de não falar individualmente de algum jogador para explicar a insistência em escalar Atuesta, que ainda não conseguiu desempenhar um bom futebol com a camisa alviverde.

Citando casos de jogador que também superaram a desconfiança da torcida, o português pediu paciência com o colombiano, de 24 anos.

“(Ele tem que fazer) o mesmo que o Rony, o Luan, o Zé Rafael fizeram quando cheguei. Vocês não dão tempo e liberdade para eles crescerem. Ele acabou de chegar, é estrangeiro, tem qualidade. É o mesmo que vocês escreveram sobre os números de gols e passes quando chegou”, iniciou o técnico, apontando também uma crítica exagerada por parte da imprensa.

Abel admitiu que Atuesta não está bem, mas lembrou que ele tem desempenhado uma função que não está acostumado: “Sim, ele não está no seu melhor. Não gosto de esconder, mas não gosto de matar ninguém. O Jailson lesionou-se e ele está nos ajudando”.

O treinador completou: “Para falar eu tenho que entender um pouco da posição primeiro. E a posição dele não é aquela, jogando como 5. De 5 tínhamos dois, Jailson e Danilo. De resto temos o (Gabriel) Menino que é um 8, o Zé que é um 8. Essa é nossa realidade”.

Contratado como destaque do Los Angeles FC, dos Estados Unidos, Atuesta disputou 24 jogos pelo Verdão e por enquanto não marcou gols. Ele tem 2 assistências. Seu contato vai até dezembro de 2026.