Por Catedral de Luz
02/05/2022

(Fotos: Cesar Greco/Palmeiras)

Eu odeio Abel Ferreira. E você?

Por que? É necessário explicar?

A começar pelo tratamento dispensado às crias alviverdes, esse português é uma verdadeira mentira. Ele evita as categorias de base, porque só sabe trabalhar com jogadores badalados.

Técnico limitado, reativo, joga por uma mísera bola… Certo está aquele jornalista execrado pela torcida que nunca se permitiu um instante de tolerância com ele.

Você fala em títulos conquistados? Pois é. Até “Papai Joel” levantou taça.

Sorte, caro amigo. Apesar da incompetência dos concorrentes ser uma válvula de escape.

Breno e Deyverson nos deram Libertadores. Eu não consigo acreditar

Mas…

… Calma, caros amigos. As frases construídas acima não espelham o que esse colunista entende a respeito do Técnico Abel Ferreira – embora alguns torcedores alviverdes ainda acreditem que o “gajo” não vale metade do que já produziu –.

Enquanto o “todos somos um” verdadeiramente espelhar aquilo que pensamos sobre o que acontece no futebol alviverde, desde 2020, os ventos nos levarão à frente.

Boa semana a todos – em especial ao Scarpa –.

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História… Amizades… Esposa e Filha.
Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.