Por Eduardo Luiz
04/01/2023, 14h59

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Após perder os últimos três meses de 2022 por causa da lesão que sofreu no jogo de ida da semifinal da Libertadores, o meia Raphael Veiga recuperou-se totalmente e iniciará 2023 100% e à disposição do técnico Abel Ferreira.

“Hoje estou bem melhor, 100% recuperado da lesão. Me sentindo muito bem, leve. Foi difícil nas férias falar que só descansei e esqueci futebol porque eu estava com muita vontade de jogar. Afinal, fiquei longe os últimos dois meses da última temporada. Confesso que a ansiedade bateu nas férias para jogar, mas treinei junto com o pessoal, mesmo quando viajei, para quando chegasse a esse momento de agora eu estivesse bem e preparado para voltar em alto nível e continuar fazendo o que vinha fazendo antes da lesão: gols e ajudando o Palmeiras, de forma sólida e ainda mais feliz”, comentou o camisa 23, ao site oficial.

Autor de 19 gols e 6 assistências em 2022, Veiga valorizou a temporada, mas disse que a anterior foi melhor: “Até postei no meu Instagram que foi meu melhor ano em questão de números, mas eu acho que, em questão de performance e constância, meu ano de 2021 foi melhor. Ano passado, tive duas lesões que me prejudicaram e voltei com um pouco de receio. Esse ano quero ser constante, espero não ter nenhuma lesão que possa me tirar dos jogos. Igual o Abel colocou: é fazer o mesmo, mas melhor. Então é manter o que eu vinha fazendo antes, de um jeito mais consistente”.

Por fim, o meia falou sobre o planejamento do Verdão para 2023, de apostar nos garotos – 10 jogadores dos 30 que iniciaram a pré-temporada são formados no clube. Ele aprovou a mescla de experiência com juventude.

“Já passei por isso. Quando eu cheguei, tinham jogadores mais velhos e eu com 21 anos. Acho importante essa mescla, porque os jogadores mais jovens vêm com aquela vontade de mostrar, de jogar, fazer de tudo. Hoje tenho 27 anos, não me considero velho, mas perto dos meninos sou mais experiente e já com uma certa noção dos caminhos que dá para encurtar. Eles no vigor e nós na experiência conseguimos achar o equilíbrio nos treinos e jogos e quem ganha com isso é o Palmeiras”, encerrou.