Por Eduardo Luiz
03/05/2022, 22h22

Com gols de Raphael Veiga (3), Rafael Navarro e Murilo, Verdão voltou a atropelar o adversário e garantiu vaga nas oitavas de final como líder do Grupo A.

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Primeiro tempo

Escalado com força máxima, o Palmeiras iniciou o jogo tomando a iniciativa, embora a primeira finalização tenha sido do Petrolero: logo no primeiro minuto Luis Alí não chutou e nem cruzou, mas levou relativo perigo à meta de Weverton. Depois disso só deu Verdão. Aos 5 minutos Zé Rafael cobrou falta que ele mesmo sofreu, para fora. Aos 6, Raphael Veiga cruzou, Gómez desviou de cabeça e exigiu ótima defesa de Ayala.

Aos 15 minutos Rony foi lançado, invadiu a área e tentou um chapéu em Silva, que meteu a mão na bola. Pênalti bem marcado pelo árbitro e convertido com categoria por Raphael Veiga: 1 a 0. Aos 21, Veron cruzou para Dudu dominar e dar o gol de presente para Veiga: 2 a 0. A defesa da equipe boliviana parou no lance pedindo impedimento do camisa 7, que não existiu.

Em ritmo de treino, o Palmeiras seguiu criando oportunidades. Aos 25 minutos Piquerez soltou a bomba, por cima do travessão. Aos 29, Dudu chutou cruzado, Rony se atirou na bola para desviar e parar em ótima defesa de Ayala. Aos 31 minutos um susto: após falta perto da área, Cristaldo finalizou sozinho e viu Weverton praticar milagre; na sobra o argentino tentou novamente, mas desta vez foi interceptado por Gómez.

Passado o susto, o Verdão voltou a buscar o terceiro gol. Aos 34 minutos Dudu cruzou para Zé Rafael dominar e chutar em cima da zaga. Aos 39, Florenciañez finalizou e Weverton espalmou. Aos 45 minutos Dudu recebeu pelo lado direito do ataque, fintou seu marcador e chutou de canhota; a bola, que tinha direção, desviou no meio do caminho e saiu em escanteio.

Antes do primeiro tempo terminar deu tempo para Cristaldo, principal jogador do Petrolero, acertar uma cotovelada em Murilo. O árbitro viu e expulsou o ex-Palmeirense. Por reclamação, o técnico do time boliviano também acabou expulso.

continua após a publicidade

Segundo tempo

Pendurados, Marcos Rocha e Rony não voltaram pro segundo tempo. Mayke e Rafael Navarro entraram em seus lugares. Com 1 homem a mais, o Palmeiras ampliou o domínio que tinha na etapa inicial, mas nos primeiros 10 minutos perdeu duas boas chances de gol, ambas com Navarro.

A vitória começou a virar goleada apeenas aos 14 minutos, quando Raphael Veiga arriscou um chute de muito longe e acertou o ângulo direito do goleiro, que ficou olhando ela entrar. Golaço: 3 a 0. A torcida local ainda se lamentava quando aos 16 minutos saiu o quarto: Piquerez tocou para Rafael Navarro fintar seu marcador e chutar no canto esquerdo baixo de Ayala: 4 a 0.

Aos 20 minutos, Abel promoveu mais duas alterações: Dudu e Veiga deram lugar a Wesley e Scarpa, respectivamente. Aos 21, Wesley tirou gol certo de Zé Rafael. O camisa 8 finalizou para o gol após cruzamento de Mayke, mas o atacante, em impedimento, quis completar sobre a linha. Aos 28 minutos Scarpa recebeu de Mayke e chutou com desvio, para fora. Na cobrança de escanteio executada pelo camisa 14, Murilo subiu sozinho para fazer 5 a 0.

Antes do jogo recomeçar, Abel Ferreira fez a última alteração a que tinha direito: Gabriel Menino substituiu Danilo. Aos 32 minutos Scarpa chutou colocado de fora da área e acertou a trave. Logo na sequência foi a vez de Gabriel Menino arriscar de longe; a bola passou perto do travessão.

Nos últimos 15 minutos o Palmeiras optou por administrar o resultado e viu o Petrolero criar duas boas chances, ambas com Acuña; na primeira o meia chutou rente à trave direita de Weverton, na segunda ele fez o goleiro trabalhar em cobrança de falta cometida por Mayke. O gol de honra ficou no “quase”.

Com a quarta goleada em quatro rodadas, o Verdão confirma a classificação antecipada para as oitavas de final da Libertadores e de quebra já garante também a liderança do Grupo A.

O Palmeiras volta a campo às 16h de domingo (08/5) para enfrentar o Fluminense, no Allianz Parque, pela 5ª rodada do Brasileirão.

Notícias relacionadas: