Por Eduardo Luiz
23/06/2022, 23h14

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Ao final do jogo no Morumbi o auxiliar João Martins tentou explicar a péssima atuação do Palmeiras apenas três dias depois de ter superado com autoridade o mesmo adversário no mesmo estádio.

“O adversário foi mais forte e mereceu ganhar. Não fomos capazes de criar e ter nossas oportunidades. Tivemos seis finalizações, nenhuma no gol. O adversário também não criou muito, mas foi melhor”, disse o auxiliar, que novamente comandou a equipe porque a CBF vetou a presença do técnico Abel Ferreira mesmo negativado para Covid-19.

Questionado se o adversário encarou o jogo uma seriedade diferente do Palmeiras, João negou: “Não vejo por aí. Sabíamos que o jogo seria equilibrado, e foi. E muitos momentos mal jogado. Para os jogos serem bem jogados é preciso de tanque cheio, e tanto nós, quanto eles, não tínhamos”.

Por fim, o auxiliar também citou o erro do árbitro antes do gol do São Paulo – inverteu uma falta clara de Reinaldo em Dudu: “Só faltou o Reinaldo pisar no Dudu. De resto, ele fez tudo. O árbitro marcou mão do Dudu. É incompreensível. Depois, o Gómez saiu para falar com o árbitro, tivemos um momento de desconcentração que não deveria ter acontecido. Assumimos a nossa culpa, mas queríamos que a falta tivesse sido marcada. Mas sem desculpas. O cansaço foi para os dois times, e hoje o adversário foi mais forte”.

O jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil acontecerá apenas em 14/7, no Allianz Parque. Até lá o Palmeiras disputará 5 jogos, sendo 3 pelo Brasileirão e 2 pela Libertadores.