Por Catedral de Luz
13/09/2021

(Foto: Reprodução)

O fracasso nos encontra quando fazemos escolhas erradas.

Não falo de contratações, porque quando perdemos é fácil elegermos os reforços como soluções inequívocas – e nós sabemos bem que os novos valores acrescentam, mas não garantem sucesso automático.

Eu falo dos erros cometidos dentro das quatro linhas. Erros primários e que levam o torcedor alviverde a desconfiar da sorte.

Foram dois gols onde marcamos a bola e não os jogadores e os movimentos deles, além de sofrermos com contra-ataque, uma de nossas virtudes.

Estratégia? Encarnar o espírito do franco-atirador? Deixar de lado o “Nacional”? Dedicar-se integralmente à “Libertadores”?

Parece que a aposta é perigosa, mas também reconhece que o momento da “S.E.P.” não é o melhor.

Continuo a entender que o “Palmeiras” focado é adversário chato de derrotar. Contudo, a confiança é um significado à flor da pele, que pulsa e nos leva à frente. A sinergia entre ambos é fundamental.

Todavia, nada funcionará, dentro e fora de campo, caso continuemos a acreditar que o time alviverde é o melhor do Brasil.

Acredite em nossa força como uma das melhores do Brasil e não algo além.

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História… Amizades… Esposa e Filha.
Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.