Por Catedral de Luz
03/09/2021

(Foto: Reprodução)

Parece ilógico o título acima, mas ele é frequente em nosso país.

Mentir é um artifício utilizado constantemente pelos mais variados meios sociais com o objetivo único de construir uma verdade privada e que atenda os interesses de determinadas eminências pardas da “Terra Brasilis”.

No futebol encontramos inúmeros exemplos da mentira pintada e assinada como verdade. O episódio envolvendo o atacante “Hulk” é um deles.

Fruto do imaginário popular, algumas informações davam conta a respeito dos supostos motivos que culminaram com a recusa do jogador citado acima a fazer parte do elenco da “S.E.P.”, inclusive negados por seus representantes. Entretanto, a torcida alviverde deixou-se levar, mais uma vez. Os envolvidos foram julgados e ninguém se deu ao trabalho de se desculpar com eles. Afinal, desafetos não merecem protocolos. São desafetos e pronto.

E por falar em desafetos, não nos esqueçamos jamais do jogador “Roger”, “persona non grata” a uma série de jogadores que já participaram ou ainda respondem como partícipes do elenco alviverde.

Adjetivado como indisciplinado, prepotente e avesso ao espírito de grupo, o jogador citado acima preferiu ignorar seus antecedentes e copiosamente cuspiu no prato que comeu ao tecer comentários nada elogiosos à “S.E.P.”, passando a menosprezá-la e silenciando-se para a veracidade dos fatos, o que prova que calar é consentir com a mentira.

Assim sendo, palmas efusivas a “Tchê-Tchê”! Ele não precisava elogiar seu ex-clube. Porém, em entrevista concedida, ele criticou quem faz o inverso e agradeceu pela chance. Profissionalismo puro. Respeito ao currículo, à carreira, à sua própria história.

Entretanto, o caráter é um conjunto de características individuais que se molda com o tempo e não nasce com o homem. Vários vivem toda uma vida e não finalizam a sua personalidade. Negam a verdade e cultuam a mentira.

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História… Amizades… Esposa e Filha.
Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.