Por Eduardo Luiz
13/05/2020, 16h19

(Foto: Cesar Greco/Ag.Palmeiras)

Depois do técnico Vanderlei Luxemburgo se dizer orgulhoso da postura adotada pelo Palmeiras em meio à pandemia do novo coronavírus, na quarta-feira foi a vez do atacante Dudu destacar as atitudes do clube, que decidiu não demitir funcionários como também aumentou a ajuda para os mais necessitados, mas para isso precisou reduzir os vencimentos dos jogadores e da comissão técnica.

“A gente vê outros clubes mandando embora funcionários que ganham R$ 1,5 mil, R$ 2 mil, R$ 3 mil reais… A diretoria nos chamou, falou de diminuir salário, falamos que aceitávamos, mas que não era para demitir funcionários” iniciou o camisa 7, em entrevista ao programa Jogo Aberto, da TV Bandeirantes.

“Como manda embora um funcionário que ganha R$ 2 mil? Onde ele vai arrumar trabalho numa situação destas? Se manda embora um roupeiro que ganha R$ 2.000, onde ele vai arrumar um trabalho durante essa crise? Um roupeiro que tem família, dois, três filhos para criar. Ficamos muito felizes por eles estarem cumprindo a palavra” completou.

Dudu finalizou destacando a importância que esses funcionários têm para o Palmeiras: “São pessoas que não aparecem, que precisam, que gostam, amam estar no dia a dia do clube. Falo diariamente com eles. Se um cara desse é mandado embora, vai fazer o quê? Eles gostam de estar no clube, são torcedores do clube”.

Com a redução de 25% no salário CLT de todo departamento de futebol profissional, e o parcelamento de dois meses dos direitos de imagem do elenco, o Verdão deve economizar entre R$ 5 e R$ 5,5 milhões por mês.