Por Eduardo Luiz
24/05/2021, 10h00

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Na entrevista coletiva virtual que concedeu após a derrota para o São Paulo na final do Campeonato Paulista, o técnico Abel Ferreira mostrou certa irritação quando foi questionado sobre o novo esquema tático, que para muitos é defensivo, mas que na opinião dele é “ultra ofensivo”.

Usando o duelo de domingo como exemplo, o português explicou com detalhes como o time se porta taticamente no esquema que ele passou a utilizar na temporada 2021.

“Com bola não jogamos com três zagueiros. Jogamos no 4-3-3. Quando se faz uma análise precisamos olhar onde andavam na primeira fase de construção o Gómez, o Mayke… Nosso adversário, esse sim, joga com três zagueiros e não muda nunca. Não jogamos com três zagueiros. Jogamos com o Renan encostado à esquerda. Sem bola, é verdade, Renan fechava um pouco. Quando falamos de três zagueiros achamos que é um sistema defensivo, pra mim é ultra ofensivo” iniciou.

“Jogamos no 4-3-3. Nossa linha de 4, Mayke, Luan, Gómez e Renan, com a estratégia do Gómez poder subir para encostar no Felipe Melo para criar uma superioridade numérica. Encostamos o Victor Luis para dar largura, o Rony à direita, com o Luiz Adriano podendo baixar entrelinhas, o que fez muito bem, com o Danilo Barbosa e o Veiga com a missão de tentar ganhar as costas. Foi isso que procuramos fazer” explicou.

Sobre as críticas, Abel mostrou-se indiferente: “Para chegar às finais é preciso trabalhar, ter competência, é preciso ter uma equipe focada. E nós estivemos nas finais de todas as competições. Quem quiser valorizar isso, o caminho, valoriza, quem quiser criticar que perdemos a finais, podem criticar. Perdemos umas, ganhamos outras, e minha vida é feita assim. Chorei, sorri, mas mil emoções vivi”.

Filosofando, o treinador ainda concluiu: “As árvores que dão mais frutos são as que levam mais varadas”.