Por Eduardo Luiz
05/02/2022, 00h11

(Foto: Fabio Menotti/Palmeiras)

Na entrevista coletiva que concedeu ontem, em Abu Dhabi, o meia Raphael Veiga citou os trunfos do Palmeiras para tentar buscar o bicampeonato mundial: manter a competitividade do time e confiar nas estratégias do técnico Abel Ferreira.

“Temos de competir, ser intenso, ter ajuda mútua com o companheiro, não deixar o companheiro sozinho no campo, seja para atacar ou defender. O Abel fala muito disso, então temos de trazer à memória o que fez a gente chegar até aqui. O competir é a base do nosso time”, disse o camisa 23.

Sobre o trabalho de Abel, Raphael Veiga disse que o treinador prepara a equipe para mudar de esquema ao longo dos jogos dependendo do que o adversário faz.

“Vale muito o que o Abel tem passado para nós. Nos jogos, às vezes mudamos de formação no meio da partida, fazendo variações com volante, lateral, zagueiro. Isso é importante para criar estratégias e mudar de acordo com a equipe adversária”.

Por fim, o meia falou sobre os possíveis adversários na semifinal, Al Ahly-EGI ou Monterrey-MEX, que se enfrentam neste sábado: “Tivemos a oportunidade de enfrentar uma delas no ano passado (Al Ahly, na disputa do terceiro lugar) e deu para ver que é uma equipe competitiva e difícil de jogar. É importante saber as características da equipe adversária, mas o principal é saber o que temos de fazer”.