Por Eduardo Luiz
08/03/2022, 08h30

(Foto: Reprodução)

Em uma longa entrevista concedida aos jornalistas Paulo Massini, Diego Iwata Lima e William Correia na noite de segunda-feira, o novo diretor de marketing do Palmeiras, Everaldo Coelho da Silva, falou sobre o início do trabalho a frente do departamento, que por decisão da presidente Leila Pereira foi reduzido – hoje apenas 44 pessoas trabalham no marketing, na comunicação e na TV Palmeiras.

Aposentado do setor financeiro, Everaldo disse que aceitou o convite para trabalhar no marketing “por paixão” (ele é diretor estatutário, ou seja, não recebe salário para desempenhar a função). Antigo colaborador do clube – participou do projeto “Eterno Palestrinos”, que reuniu torcedores para ajudar financeiramente a gestão Belluzzo, o diretor empilhou promessas, falou genericamente sobre muitos temas e apresentou poucas propostas concretas.

Abaixo, o PTD resume os principais pontos da entrevista. Confira:

Patrocínio da Crefisa

Everaldo repetiu o que a presidente falou ainda antes de ser eleita, que o clube está aberto a novas propostas de patrocínio. “Se aparecer um patrocínio maior que o dela, ela estende um tapete verde”.

O diretor negou que o valor pago pelas empresas de Leila Pereira esteja defasado (R$ 81 milhões por ano, podendo passar de R$ 100 mi com premiações): “Não dá pra falar que esse patrocínio é pouco ou que está defasado. Qualquer clube do mundo gostaria de ter um patrocínio como o da Crefisa”.

Autonomia

De acordo com Everaldo, ele tem total liberdade para capitanear novos patrocínios, e interessados, segundo ele, não faltam: “Temos recebido todo tipo de oferta de patrocínio, mas temos de avaliar se fica legal ou se não fica”.

Segundo o diretor, uma empresa fez proposta para estampar sua marca no espaço acima do patch (no meio da camisa), mas ele não explicou como ficaria a questão da exclusividade com a Crefisa, nem em que pé está essa negociação (se foi descartada ou se está em curso).

Outros esportes

Everaldo afirmou que o clube está perto de fechar acordos que viabilizarão a volta de duas modalidades de tradição, basquete e futsal, mas não estipulou um prazo nem abriu os nomes/marcas dos parceiros.

Futebol feminino

De acordo com o diretor, o Palmeiras também está perto de fechar um patrocínio exclusivo para o futebol feminino. A presidente Leila Pereira decidiu abrir mão da propriedade na camisa para que a categoria seja “autossustentável”. A exemplo da promessa de reativação do basquete e do futsal, Everaldo não estipulou um prazo para fechar a negociação.

E-sports

Citado por Everaldo como a categoria que mais cresce no mundo, o E-sports enfim chegará ao Palmeiras. O diretor afirmou estar negociando com “dois parceiros fortes” a implementação da modalidade, mas também não informou quando será lançado.

Avanti

O programa de sócio-torcedor foi o único em que Everaldo falou abertamente sobre metas. Sem explicar o porquê o número foi definido, o diretor falou que o objetivo do clube é terminar o ano de 2022 com 100 mil sócios. Atualmente o programa conta com quase 53 mil adesões (quando a gestão Leila Pereira começou eram 41 mil).

Match day

Assim como já havia falado em entrevista ao UOL Esporte, Everaldo disse que até julho pretende entregar por completo o projeto do “match day”, que segundo ele proporcionará aos torcedores uma experiência interativa com com atrações, som, imagem, e dando prioridade ao sócio-torcedor. A ideia do diretor é que o torcedor permaneça no Allianz Parque por “5 horas”.

Para viabilizar esse projeto, Everaldo disse o clube “está brigando com frentes” para liberar bebida alcoólica dentro do estádio.

Cerco

De acordo com o diretor, o criticado cerco promovido pela Polícia Militar na Rua Palestra Italia em dias de jogos já foi tema de duas reuniões da diretoria com autoridades, mas ele deixou subentendido que a medida será mantida: “É um pouco mais sério do que parece. Envolve muitas questões. Temos vários problemas de ordem social antes de pensar em liberar”.

Quando avisado por William Correia que o cerco não existe em nenhum outro estádio de São Paulo, e que não acontece nos shows realizados no próprio Allianz Parque, Everaldo não se manifestou.

Camisa mais barata

Uma das promessas de campanha de Leila Pereira, a redução no preço das camisas oficiais “não é simples”, palavras de Everaldo. O diretor afirmou que terá em breve uma segunda reunião com a Puma para tratar do assunto: “Precisamos achar alternativas criativas”.

_________________________

Ao final da entrevista, Diego Iwata Lima reportou uma opinião pessoal sobre a pouca objetividade das respostas, sentimento compartilhado por torcedores que acompanhavam a entrevista ao vivo; Everaldo tentou justificar:

“A gente só coloca prazo quando está fechado. Algumas coisas estão caminhando. Temos que fechar com parceiros de relevância. Assumi no começo desse ano e tivemos o atropelo natural do Mundial, tivemos a reestruturação do departamento… Se falar que o carro está trocando o pneu andando, pode ser. Temos um patrocínio forte, temos grandes parceiros… Precisamos evoluir. Minha prioridade hoje é que o torcedor Avanti seja melhor atendido. Nisso estou todos dias dedicado”.

Clique aqui e assista a entrevista na íntegra.