Por Eduardo Luiz
10/08/2021, 23h45

Weverton: 7,0
Quatro boas defesas ao longo do jogo, sendo duas delas no lance do gol (a zaga não ajudou).

Marcos Rocha: 5,0
Não comprometeu na marcação, mas no apoio foi muito mal.

Luan: 5,5
Foi o armador do time no primeiro tempo, às vezes deixando sua posição de maneira perigosa. No segundo tempo jogou mais na sua.

Gómez: 5,0
Teve a chance de afastar a bola no lance do gol. Custou caro sua hesitação.

Renan: 5,5
Dedicado quase que 100% do tempo à marcação. Teve certa dificuldade quando os velocistas do São Paulo caíram por seu lado.

Zé Rafael: 4,5
Não conseguiu dar qualidade à saída de bola e foi ineficiente na marcação.

Patrick de Paula: 7,5
Entrou bem e fez um belo gol de falta. Na base fazia muitos assim.

Danilo: 5,5
Jogo ok.

Raphael Veiga: 4,5
Preguiçoso no primeiro tempo, melhorou discretamente na etapa final. Mas poderia ter dado lugar a Scarpa.

Gabriel Veron: –
Pouco tempo em campo.

Breno Lopes: 3,0
Ser fominha em jogo desse tamanho é algo inadmissível. Em dois lances preferiu tentar uma improvável finalização ao invés de passar para Rony.

Wesley: 6,0
Entrou bem, mostrando sua principal virtude, que é o drible, mas pecou nas finalizações.

Dudu: 6,5
O melhor do time (na linha). Criou as principais chances de gol, mas cansou na etapa final.

Rony: 5,5
De “falso 9” pouco incomodou a defesa adversária.

Luiz Adriano: 5,5
Pouco acionado.

Abel Ferreira: 5,5
Não conseguiu fazer o time dar a resposta prometida. O Palmeiras respeitou demais o São Paulo. Só mudou a postura depois de sair atrás, mostrando que dá para jogar mais solto. O técnico apenas trocou peças do time, não promoveu nenhuma mudança tática. O meio-campo do São Paulo voltou a ter superioridade e jogou à vontade em boa parte do jogo. Como mérito do português, a troca de Zé Rafael Por Patrick de Paula, e foi do camisa 5 o gol do empate. No jogo de volta não pode em hipótese alguma tentar segurar o 0 a 0. Coragem, Abel!