Por Eduardo Luiz
26/07/2020, 18h22

Weverton: 5,5
Uma boa defesa num escanteio fechado. Não tinha o que fazer no gol.

Marcos Rocha: 6,0
Discreto no primeiro tempo, cresceu quando Luxa lhe deu liberdade. Terminou o jogo com uma assistência.

Felipe Melo: 5,0
Assim como todo sistema defensivo, vacilou no lance do gol.

Vitor Hugo: 5,0
Mesma avaliação de Felipe Melo.

Diogo Barbosa: 3,0
Falhou no gol ao deixar o atacante entrar livre nas suas costas.

Patrick de Paula: 5,0
Abaixo do desempenho no clássico, mas mostrou personalidade. Não se omitiu.

Gabriel Menino: 5,5
Conseguiu fazer o que Patrick não vinha fazendo, sair melhor pro jogo.

Bruno Henrique: 4,0
Muito mal. O time melhorou depois que saiu.

Ramires: 6,5
Entrou bem. Fez o gol de empate e criou chances.

Lucas Lima: 4,5
Teve nova chance de ser titular e não aproveitou.

Raphael Veiga: 2,0
Errou tudo que tentou, de chute a passes de dois metros.

Luiz Adriano: 6,0
Cobrou muito mal o pênalti e deu sorte no rebote.

Rony: 4,0
O gol não sai e isso aumenta sua ansiedade, mas precisa racionalizar melhor as jogadas.

Scarpa: 4,5
Pelo jeito usa o pé direito só pra subir no ônibus. Mas deu mais opções ao time que Rony, se movimentou mais.

Willian: 4,5
Muita vontade e só.

Zé Rafael: –
Pouco tempo em campo.

Luxemburgo: 4,0
O time fez o primeiro tempo assustador. Faltou tudo, menos posse de bola, que foi inútil. Na etapa final houve uma discreta evolução, suficiente para garantir a vitória diante de um adversário fraco. As mudanças que o técnico fez acabaram surtindo efeito, principalmente a entrada de Ramires. Mas foi muito pouco. O Palmeiras entrará na fase final do estadual como azarão.