Por Catedral de Luz
11/08/2021

(Foto: Reprodução)

Melhor do que nos outros embates frente ao “tricolor”, a “S.E.P.” marcou de forma compacta, não ofereceu espaços e costurou interessantemente os contra-ataques, pecando, é claro, no passe final.

Os esmeraldinos ofereceram a posse de bola ao adversário e armaram o bote fatal. Entretanto, seus melhores jogadores escolheram constantemente o caminho do gol de forma errada.

Quando tudo parecia demonstrar o mesmo destino dos últimos jogos, caprichosamente a “caixa de pandora” puniu através da chancela magna do futebol e pregou peça no ceticismo do torcedor alviverde.

O venenoso chute do menino “Patrick” ousou medir a capacidade do goleiro oposto e foi feliz.

Fica aqui a aula do dia, onde você pode ser superior à “S.E.P.”, mas nunca subestimar o time alviverde. É um competidor traiçoeiro que simula sua morte, mas renasce das cinzas.

Ademais coube ao goleiro “Weverton” o “toque de Midas” à frente da meta palestrina.

Aliás, por falar em barreira intransponível, os esmeraldinos alcançaram a marca de “14” partidas invictas como visitante.

Sucesso absoluto? Jamais! Apenas a retomada da confiança adormecida.

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História… Amizades… Esposa e Filha.
Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.