Por Catedral de Luz
21/05/2021

(Foto: Reprodução)

É praticamente impossível analisar os fatos competitivos do esporte sob uma temática rasa. Para que você elogie ou critique algo ou alguém é preciso profundidade, entendimento e conhecimento de causa.

Falar de um suposto “drible tático” imposto por um técnico sobre o outro deve considerar muito mais do que onze jogadores dentro das quatro linhas.

Entretanto, as coisas não funcionam assim, embora alguns colegas que me prestigiam com a sua leitura semanal entendem que o placar 1X2 ou 3X4 deve ser considerado como um “pseudo nó tático”.

Garanto a todos, com certa experiência, a partir dos meus quase sessenta anos (estrada afora), que uma conquista enxerga além de uma simples vitória – ou em nosso caso, derrota –.

Quanto eu posso, eu treino, mas quando não posso, eu treino também. Foi assim que “Abel Ferreira” permitiu algo similar ao time alternativo. Foram os erros apresentados pelos escalados na quarta-feira que o elenco aprendeu que há muito o que fazer para alcançar a plenitude competitiva.

Pergunto aos mesmos leitores: “Perderíamos, da mesma maneira, caso os melhores do elenco estivessem no jogo? Improvável”.

A vida é feita de escolhas e fizemos as nossas, ilustres leitores. A “Lei de Gérson – levar vantagem em tudo” – infelizmente ainda respira. Há pessoas que continuam a interpretar o futebol de forma passional e ponto. Porém, mais cedo ou mais tarde, a luz predominará no raciocínio simplista do torcedor.

Estamos às portas da disputa de mais um título. A essa altura o primeiro resultado veio à luz dos fatos. Independente do final dessa história devemos estabelecer o bom senso no “modus operandi” esmeraldino.

Ou seja, amigos: “Nossa história deixará de ser profícua se ela não for hegemônica, e ela se dá pelo acumulo de finais disputadas”.

Quanto mais finais, mais títulos.

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História… Amizades… Esposa e Filha.
Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.