Por Catedral de Luz
16/08/2021

(Foto: Reprodução)

Eu afirmo que há partidas em que o time alviverde perde por inferioridade técnica e tática. Porém, como não poderia deixar de ser, o inverso também é fato.

Entretanto, há partidas onde o time alviverde não influencia no placar final. Ele é construído circunstancialmente. Assim foi em “BH”.

Contudo, não vou ocupar o tempo do ilustre leitor com críticas à arbitragem – réu confesso, conforme alguns jogadores esmeraldinos –. A realidade é clara e vira as costas para ela somente aqueles que exibem traços de hipocrisia.

Depois das circunstâncias expostas em “BH”, o vexame seria a quantidade de gols sofridos e que psicologicamente influenciariam no jogo do próximo meio de semana.

Chegaremos ao “Choque Rei” vivos e respirando satisfatoriamente, com uma estratégia pronta e treinada diariamente. Tudo indica que o embate da “Copa Libertadores” é o foco absoluto e nada conseguirá demovê-lo da mente dos jogadores alviverdes.

A forma citada acima está correta? A “Libertadores” é o nosso objeto único do desejo? Tudo a seu tempo e na hora certa. Agora o “Choque Rei” é fundamental para a continuidade da temporada.

A “S.E.P.” é um time caracterizado pelo espírito de grupo, onde destaca-se o trabalho coletivo. A harmonia de nossas linhas indica o quanto de sucesso alcançaremos. Longe estamos da dependência dos valores individuais. Não é esta a imagem arquitetada por quem formou o elenco.

Assim sendo, com recursos subjetivos a acrescentar, cabe ao torcedor apenas e então somente torcer. Guardar confiança em quem já conquistou a “Copa do Brasil” e a “Copa Libertadores”.

Eu pergunto: “Vale o sabor amargo do sangue entre os dentes?”

Eu acho que a resposta é…

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História… Amizades… Esposa e Filha.
Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.