Por Catedral de Luz
20/12/2021

(Foto: Conmebol)

Amigo Falcade (Nosso Palestra), você fundiu a cuca deste cronista.

Capitanear ou liderar? Achei que fossem sinônimos no futebol. Entretanto, o amigo foi extremamente feliz ao trazer à luz dos últimos acontecimentos algumas diferenças entre tais fatores.

Capitanear é um termo onde geralmente o personagem conquista a tarja de comando impondo respeito, de fato – mais tarde vem o direito.

Ao contrário do verbo transitivo direto citado acima, poucos personagens chamamos de líder.

A liderança comanda dentro das quatro linhas, alerta cada atleta de seu time sobre as responsabilidades táticas e dialoga de forma disciplinada junto à arbitragem. Rompe com as convenções estabelecidas pelo território tupiniquim quando atua antes, durante e depois do jogo.

Resumindo, a liderança é algo inquestionável dentro do elenco. Acima de qualquer suspeita formulada e pronto para representar seus companheiros de forma cotidiana.

Quer um fato marcante e que prove a liderança? O Estadual 2021.

Mesmo derrotado e pouco tendo a comemorar – ou nada – o zagueiro Gómez sobe as escadarias do vestiário e munido de extrema personalidade busca a taça de vice. Muito mais difícil do que caminhar até a marca de pênalti e bater.

Depois de intitulado líder, o termo acompanhará o jogador durante a sua carreira. Chegando a qualquer clube ou despedindo-se de qualquer lar onde você tenha defendido por cinco temporadas.

Sim ou não?

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História… Amizades… Esposa e Filha.
Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.