Por Eduardo Luiz
16/12/2022, 19h28

(Foto: Reprodução/TV Palmeiras)

A novela envolvendo a renovação de contrato de Dudu ganhou mais um capítulo nesta sexta-feira. Através da imprensa (entrevista ao Ge), a presidente Leila Pereira colocou o atacante contra a parede ao dizer que “não mudará uma vírgula” na proposta apresentada.

As partes já se entenderam quanto a valores, mas a cláusula da renovação automática, de 2025 para 2026, travou o acerto. Dudu quer que o mecanismo seja ativado se disputar 15% dos jogos, enquanto que a diretoria sugere 50%.

“O Palmeiras fez uma proposta extremamente interessante, benéfica para o jogador e para o clube também, extremamente justa. Normalmente a presidente assina por último. Eu não posso fazer mais do que estamos fazendo, é o máximo que o Palmeiras pode chegar. Não falo os termos, mas é uma proposta extremamente interessante para o jogador”, iniciou a mandatária.

“A última vez que conversei com os agentes do Dudu foi há uns 15, 20 dias, e falei que essa é a última proposta do Palmeiras, que é extremamente correta e interessante para o jogador. Não posso mexer mais uma vírgula. Já avisei que é a proposta final”, completou.

Sem medo de receber um “não” de Dudu, Leila afirmou que ninguém é insubstituível: “Uma coisa importante é que o Palmeiras é maior que a presidente, maior que todos. O Palmeiras tem 108 anos, as pessoas passam e o Palmeiras fica. Ninguém é insubstituível, eu também não sou. Temos que trabalhar para o que é melhor para a Sociedade Esportiva Palmeiras, é para isso que fui eleita, para proteger os interesses do clube”.

Esperando por uma resposta do atacante, a presidente ainda concluiu: “Temos mais um ano, Dudu tem 2023 inteiro para ficar no Palmeiras. É desejo da presidente que ele fique, mas o que o Palmeiras propôs é o máximo para um jogador como Dudu. Sempre reconheceremos toda dedicação, empenho e talento dele, mas o que estamos propondo é extremamente benéfico. Eu sinceramente não entendo porque não foi assinado até agora. O atleta já tinha dado OK verbalmente, não sei se querem mexer em mais alguma coisa. Mas eu garanto que o que eu propus e assinei é o que vai ser feito. Se não puder, paciência”.