Por Eduardo Luiz
26/07/2021, 19h14

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

De volta ao Brasil para se reapresentar ao Palmeiras, o atacante Miguel Borja foi avisado pela diretoria que pode ser negociado. De acordo com o diretor de futebol Anderson Barros, o clube tem como prioridade arranjar um comprador para o colombiano. Se isso não acontecer, ele será aproveitado.

“Tentamos e continuamos a tentar a negociação do Borja. É importante ressaltar que ele mereceu um investimento da nossa parte alto. Ele volta, participa normalmente das atividades até nós podermos definir essa situação. Caso contrário, caso a gente não consiga definir, ele continuará trabalhando e terá que mostrar seu valor para conquistar espaço porque na posição dele temos atletas que nos tem atendido. A prioridade é negociar, já deixamos isso claro com o representante e com ele, mas o mercado é complexo. Sabemos das dificuldades”, disse o executivo, em entrevista à Rádio 105 FM.

Barros também falou sobre a provável chegada do lateral-esquerdo Joaquín Piquerez, do Peñarol, que seria mais uma opção para o técnico Abel Ferreira para substituir Viña, que está praticamente fechado com a Roma. Na semana passada o clube também acertou com Jorge, ex-Monaco.

“O Piquerez é um atleta que vem se destacando desde a temporada passada no Peñarol. Acompanhamos ele nas competições sul-americanas, é um atleta que foi monitorado pelo setor de análise de desempenho e sempre mostrou uma postura satisfatória. Temos, sim, uma situação muito bem encaminhada tanto com o clube uruguaio quanto com seus representantes para que possamos efetivar a contratação” encerrou.

Para contratar Piquerez, o Verdão deve desembolsar 3,8 milhões de dólares por 100% dos direitos econômicos, que hoje são divididos entre Peñarol e River Plate do Uruguai. A tendência é que a negociação seja finalizada até o final da semana.