Por Tática Didática – Parceiro do PTD
18/08/2021, 10h20

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

O Palmeiras goleou o São Paulo na partida de volta das quartas de final da Libertadores da América. Os 3 x 0, fora o baile, tornaram os atuais campeões nos primeiros semifinalistas do torneio.

É claro que, dentro de campo, a atuação foi muito boa. Mas nada seria possível se não tivesse à beira do gramado um treinador que condicionasse os jogadores a jogar nas deficiências do adversário.

E essa percepção veio na escalação. A entrega de Wesley foi um movimento de Abel esperando um São Paulo mais ofensivo. Crespo foi pragmático e manteve o time de semana passada. Palmeiras entrou “mordendo”, marcando em cima, e quando abaixava as linhas continuava com pressão. Como consequência, roubavam bolas, puxavam contra-ataques e fizeram três gols.

Abel é muito criticado. E alguns comentários são importantes e fazem sentido. Futebol não se ganha só jogando bonito. Pragmatismo também é necessário. Mas, por mais crítica que se tenha, um fator é inegável: o português estuda muito seus adversários. E mais uma vez isso ficou claro.

No vídeo abaixo, analisamos mais sobre o confronto. Assista e participe do chat conosco.