Por Tática Didática
04/01/2022

(Foto: Fabio Menotti/Palmeiras)

Nesta quarta-feira o Palmeiras estreia na tradicional Copa São Paulo. E ao contrário de algumas vezes nos últimos anos, nessa edição irá com força máxima, utilizando os jogadores que conquistaram em dezembro o pentacampeonato Paulista sub-20 e que também jogaram pelo time profissional nas últimas três rodadas do Campeonato Brasileiro, com ótimo aproveitamento.

Alguns jogadores no meu modo de ver nem precisariam jogar essa competição, já estão prontos para subir ao profissional e brigar por seu espaço no elenco. Cito alguns deles no vídeo abaixo, mas o fato é que todos estão relacionados para a competição.

Com um time forte no campeonato, o Palmeiras naturalmente é um dos favoritos ao título, o que acendeu nos últimos dias uma pequena polêmica nas redes sociais sobre o possível trauma que o torcedor palmeirense tem pelo fato de nunca ter ganho a competição.

Em boa parte de sua história, as categorias de base do Palmeiras foram sucateadas e negligenciadas, quando não eram um verdadeiro balcão de negócios, com inúmeros jogadores de qualidade duvidosa vestindo a camisa alviverde. Para cada talento que teve sucesso no profissional como São Marcos, Galeano, Rodrigo Taddei e Vagner Love que surgiam a conta gotas, outros inúmeros garotos passavam pela base do Palmeiras sem deixar nenhuma saudade, outros geravam grande expectativa da torcida como Romarinho, Daniel Lovinho, Cláudio mas que nunca corresponderam a tamanho anseio da torcida e que até hoje são motivo de piada entre os palmeirenses.

Nessa época, a cada eliminação na competição a torcida se angustiava, todos os palmeirenses de um pouco mais idade se lembram da derrota na final pro Santo André em 2003 e como ela foi sofrida, por exemplo. Mas a questão é que naquela época, de tão maltratada que era, a única razão de existir das categorias de base para o torcedor palestrino era basicamente ganhar a Copa São Paulo, não fazia parte da realidade do clube de fato utilizar os jogadores da base no time profissional.

Porém após a reformulação implementada por Paulo Nobre, Alexandre Mattos, João Paulo Sampaio, entre outros, a categoria de base do Palmeiras se transformou em um grande celeiro de ótimos jogadores que desde 2015 com Gabriel Jesus abastece o time profissional. E veja só, depois que o Palmeiras começou a revelar bons jogadores, que foram fundamentais em grandes e históricas conquistas do clube nos últimos anos, a torcida simplesmente não se importa mais se o time vai ganhar ou perder a Copinha.

Ou alguém se lembra do jogo em que o Palmeiras foi eliminado da última edição do torneio? Creio que poucos, eu mesmo não lembro.

Fatalmente mais cedo ou mais tarde o Palmeiras irá ganhar a Copa São Paulo, mas essa não será mais a razão de existir da base do clube, será apenas uma consequência do excelente trabalho que vem sendo realizado por diversas mãos, pés e mentes de dentro do Palmeiras. E até lá o torcedor vai curtindo ver as Crias da Academia no time profissional, papando títulos de expressão em cima de seus rivais e marcando seus nomes na história do clube.