Por Tática Didática
05/12/2021

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Uma das coisas que considero mais difícil no futebol é encerrar ciclos, decidir quando deve se encerrar a jornada de um jogador em um time, ainda mais no futebol brasileiro, onde somos tão carentes de ídolos. E nesse sábado, 04 de dezembro de 2021, uma semana depois de conquistar o tricampeonato da Copa Libertadores da América, o Palmeiras encerrou o ciclo de dois jogadores históricos no clube, Felipe Melo e Jailson, sem que os dois tenham decidido se aposentar. O Pitbull inclusive está perto de fechar com o Fluminense.

Sem entrar na discussão se o Palmeiras deveria ou não renovar com eles, e existe argumento para os dois lados, o fato é que o Verdão ruma para um certo rejuvenescimento de sua equipe. Jogadores mais velhos e que são grandes lideranças no vestiário vão saindo, e darão espaço a outros jogadores históricos do clube, porém mais jovens, assumirem esse papel como Gomez, Luan, Raphael Veiga, Dudu, entre outros.

O elenco do Palmeiras possui certas carências, a mais notória é a falta de um centro avante de elite, que acompanhe o nível dos bons meias e extremos que o time possui. Essa sem dúvida será a maior cobrança dos torcedores, mas há outras posições que se a diretoria conseguir trazer, dará a Abel mais opções e variações para montar suas equipes.

Os títulos da Libertadores são históricos, mas não podem enganar a diretoria e o torcedor. A distância técnica do elenco alviverde para seus principais rivais nacionais hoje, Flamengo e Atlético-MG é considerável, o que tornou o tricampeonato tão especial. A diretoria precisa trabalhar para equiparar o elenco aos dois, para não ter que depender sempre das cartas na manga de Abel.