Por Catedral de Luz, 03/02/2020

A torcida alviverde precisa de um estudo aprofundado. Ela é a única que dispensa o sarro adversário. Faz a tarefa alheia e curte feito o gol do título.

As redes sociais não se esquecem deste colunista. É um festival de “não falei?”, “frouxos” e “mercenários”, que até a próxima partida a paz reinante vem a óbito.

Como o título do texto observa, serei breve quanto a análise. A “SEP” jogou apenas “45” minutos, e deixou claro que o resultado seria outro se o desempenho entre a primeira e segunda etapa fosse homogêneo.

De um time de estagiários para um time competitivo levamos um tempo crucial e suficiente para ser derrotado por um eficiente e esforçado adversário.

Sinal de alerta e aprendizado para o elenco. Um jogo tem o tempo de “90” minutos e nem sempre a estratégia de economizar energia funciona.

Volto a afirmar que o time alviverde não está pronto e é bom que oscile agora e não em campeonatos de maior dificuldade.

Da mesma forma, não somos a terra arrasada que muitos pretendem vender a imagem.

Bom senso, amigos. A “SEP” não precisa de “10”. Talvez “2” resolvam e o resto deixamos nas mãos estratégicas do nosso “Professor”.

E aí, na passagem entre o primeiro e o segundo semestre, sendo uma prioridade…

Calma lá, ilustres palestrinos.

(Foto: Cesar Greco/Ag.Palmeiras)

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História… Amizades… Esposa e Filha.
Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.