Por Catedral de Luz, 17/02/2020

Foi com requintes de crueldade, mas com alguns ingredientes que pouco a pouco marcam este novo “Palmeiras”.

Afinal, não foi nada agradável sofrer um gol de jogada isolada, onde o grande “Gòmez” calculou errado o ingrato tempo de bola.

Mas o zagueiro paraguaio tem crédito e ele mesmo buscou o encaminhado prejuízo. Levantamento perfeito de “Menino” – como lateral – e a testada certeira. Indefensável.

Porém, as surpresas não pararam. Em mais uma proeza de “Bruno Henrique”, por intermédio de mais “15” minutos de fama e em cruzamento diagonal, “Raphael Veiga” desvia de pé esquerdo e vira um jogo que foi mais difícil do que pensamos.

Não obstante recuperado o resultado, mais um jogador questionado pelo torcedor alviverde iluminaria as redes adversárias, através de um arremate letal, após jogo de corpo que o distinguiu dos atletas comuns. “LA” sabe de bola e não pode ser atirado na vala dos medíocres.

Não posso esquecer da jogada de “Gabriel Verón”. É claro que ainda é pouco se compararmos com as expectativas que foram feitas sobre o seu futebol, mas o menino tem qualidade para o “Professor” insistir com ele.

Ademais, tudo correu dentro do previsível e “Viña, por exemplo, provou em “90” minutos que a lateral já tem titular.

Afora as surpresas que põe sempre à prova os melhores, a “SEP” tem tudo para crescer e encontrar níveis de competitividade.

Um detalhe aqui ou outro acolá… Dará certo.

Mais uma semana de descanso para as cornetas.

(Foto: Cesar Greco/Ag.Palmeiras)

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História… Amizades… Esposa e Filha.
Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.