Por Catedral de Luz
30/04/2021

(Foto: Reprodução/TV Palmeiras)

Recado transmitido, agora é bom interpretá-lo de forma adequada.

Você pode não concordar com o ponto de vista de “Abel Ferreira”, mas demonstrar-se indiferente a ele é outra coisa, pois o pedido de socorro é absolutamente claro.

“Abel Ferreira” adaptou-se à “S.E.P.” e é feliz. Contudo, ele não é unanimidade, embora esta seja uma utopia.

Baseando-se nos títulos conquistados, o técnico alviverde sentiu-se injustamente traído pelos torcedores, o que é, diga-se, algo absurdo. Entretanto, as atitudes tomadas pela torcida nunca foram à luz da consciência e sempre foram analisadas por intermédio do fígado e não do cérebro.

O fogo amigo incomodou mais que a própria imprensa, embora esta saiba como poucos desconstruir personagens que lhe peitem.

Enfim, apesar de sangrar, “Abel Ferreira” prosseguirá. Não sei até quando ou de que maneira, mas posso afirmar que a magia deixou de existir.

Hoje, o relacionamento “Técnico & Clube” é profissional e eu não sei afirmar se isto basta para vencer.

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História… Amizades… Esposa e Filha.
Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.