Por Catedral de Luz
23/03/2022

(Foto: Reprodução/TV Cultura)

A cada nova performance do técnico Abel Ferreira a torcida alviverde entra em êxtase. É natural agir assim, inclusive durante a entrevista concedida no programa “Roda Viva”, da TV Cultura.

Todavia, ao utilizarmos do bom senso é sempre bom meditarmos a respeito e perguntarmos ao vento que sopra periodicamente: Acaso o torcedor esmeraldino está preparado para mais duas temporadas com Abel Ferreira?

– Mas que pergunta fora de propósito, Catedral! – diria o ilustre leitor do “Galope Peregrino”. Contudo, eu explico.

Manter Abel Ferreira à frente do time é fator fundamental para que a SEP mantenha-se entre as principais equipes concorrentes aos títulos – pelo menos entre os mortais.

Contudo, ao contarmos com o gajo, outras decisões tomadas por ele são anexadas ao pacote adquirido e não são populares, diga-se de passagem.

A escolha de quem joga ou participa do elenco é responsabilidade do técnico. Sendo assim, não se iluda ao culpar Anderson e outros mais no lugar dele.

Como diria o próprio português: Há mais para saber além do que publicam os jornalistas.

Rocha na lateral, Luan na zaga, Zé Rafael no meio de campo e Rony Rústico de centroavante, tudo tem o dedo mágico do técnico Abel Ferreira. Aliás, na lateral e miolo defensivo, peço a gentileza de citarem mais dois jogadores que sejam melhores do que os mencionados neste parágrafo e que joguem no Brasil. Acho que a crítica gratuita não prospera e passou da hora de analisarmos o futebol pelo entendimento contemporâneo. Afinal, ala não vive de cruzamentos e zagueiro não sobrevive de rebatidas. Saídas de bola bem trabalhadas também constroem vitórias.

Caso você não aceite, caro amigo, é bom resignar-se e mudar de conduta. A palavra final é dele.

Tudo tem preço compatível no mercado. Centroavante tem e técnico também.

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História… Amizades… Esposa e Filha.
Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.