Por Eduardo Luiz
10/12/2021, 15h14

(Foto: Fabio Menotti/Palmeiras)

Repetindo o que fez com Jailson, o Palmeiras recebeu o volante Felipe Melo na manhã de sexta-feira para homenagear o jogador, que não teve o contrato renovado. O presidente Maurício Galiotte entregou uma camisa personalizada e uma placa ao volante.

“Queria agradecer em nome da torcida Palmeirense. Felipe Melo é um craque, um ídolo, um líder, nosso capitão que por várias vezes levantou taças enquanto esteve no Palmeiras. A partir de agora, ele entra para a galeria de ídolos da nossa Academia. Um orgulho ver você honrando nossa camisa. Gratidão eterna”, disse o presidente.

Felipe Melo agradeceu: “Tenho muitas tatuagens, mas sem dúvida a Sociedade Esportiva Palmeiras está tatuada no meu coração, que é o mais importante. Eu lembro que na minha apresentação falei que vinha para cá ser campeão brasileiro, da Copa do Brasil, Paulista e da Libertadores. E Deus honrou. O sentimento é de dever cumprido, só eu, Deus e a minha família sabemos o que deixamos para voltar ao Brasil. Foi uma aposta. Tinha a certeza de que o Palmeiras era o clube certo, tinha certeza de que iria triunfar aqui. Foi por isso que decidi vir para cá”.

“Apesar de sair do Brasil jovem, já tinha conquistado títulos importantes, mas nunca como uma peça principal na engrenagem. Tinha o sonho de voltar, conquistar grandes títulos e marcar uma história, deixar um legado. Agradeço a Deus porque Ele me honrou e capacitou para que eu estivesse aqui hoje. A carne pode morrer daqui algum tempo, mas o nome jamais. Fica marcado na história” completou.

Multicampeão como capitão, Melo ainda finalizou: “Foram duas Libertadores. Passamos a um patamar diferente no clube, nós atletas que fizemos parte dessas conquistas. Saio do clube como o maior campeão do Brasil e o maior brasileiro campeão dessa competição, que é a nossa Champions League. Todo mundo que sonha em ser um atleta profissional sonha em jogar uma Libertadores, quem dirá conquistar. Passei de tudo, cheguei em semifinal, quartas de final. Na primeira conquista joguei a primeira fase e depois tive a lesão. Com minha fé em Deus, de quatro meses e meio voltei em dois e pude levantar o troféu. Me cobrei bastante por não estar nos momentos decisivos, apesar de atuar como verdadeiro capitão fora de campo. Deus foi tão generoso comigo que me deu os jogos contra o Atlético-MG para marcar uma história. Se não fossem aqueles jogos não teria final”.

Aos 38 anos, Felipe Melo deixa o Verdão após 5 temporadas com 225 jogos disputados e 5 títulos conquistados: Brasileirão 2018, Paulista 2020, Libertadores 2020, Copa do Brasil 2020 e Libertadores 2021.