Por Eduardo Luiz
16/04/2022, 20h52

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Após o Palmeiras empatar com o Goiás em Goiânia em jogo válido pela segunda rodada do Brasileirão, o técnico Abel Ferreira analisou a atuação do time, que criou várias chances de gol, mas que esbarrou na falta de pontaria do ataque e na boa atuação do goleiro Tadeu.

“Entramos muito fortes no jogo. Em 25 minutos tínhamos um arremate do Veiga que o goleiro pegou. O goleiro ficou 34 vezes no chão. É o capitão da equipe, tem que dar o exemplo. A seguir Dudu meteu no poste, depois Navarro de cabeça, livre, na sequência o Zé arrematou e meteu para fora, e a seguir tivemos o Murilo que meteu no canto e exigiu boa defesa do goleiro adversário” iniciou.

“Na segunda parte tivemos mais dificuldades, nosso adversário se portou melhor. Mesmo assim tivemos oportunidades com Rony e com o Wesley, e no final tivemos o gol do Rony e acabamos por levar 1 ponto. Mas nesses jogos temos que ganhar. Infelizmente não conseguimos ser tão eficazes, mas conseguimos criar na média, foram 22 finalizações. Temos finalizado de 20 a 25 vezes por jogo” completou.

Na sequência o treinador reclamou com mais ênfase da cera do Goiás: “Eu gostaria de saber quanto tempo útil que se jogou em cada parte. 20, 25, de 45? Meus jogadores tentaram, criaram, mas o Goiás quebrou o ritmo do jogo”.

Por fim, Abel se queixou do gol do Goiás, na sua visão, irregular: “As imagens são claras. Se o jogador toca na bola e depois toca no Weverton, mas não vi o jogador tocar na bola… Infelizmente isso custa-nos pontos. Estamos falando de dinheiro, de profissionalismo, de verdade esportiva… Não quero que nos prejudiquem, só isso. Há lances que não controlamos, mas houve fatores que novamente interferiram no resultado final”.

O próximo adversário do Palmeiras no Brasileirão será o Flamengo. O jogo, antecipado da 4ª rodada, será disputado às 19h30 de quarta-feira (20/4), no Maracanã.