Por Eduardo Luiz
19/06/2020, 01h41

(Foto: Cesar Greco/Ag.Palmeiras)

Peça importante na campanha do Deca Brasileiro, em 2018, o meia Lucas Lima acabou perdendo espaço em 2019, e na atual temporada, apesar de ter disputado 10 dos 14 jogos realizados pelo Verdão antes da paralisação causada pela pandemia do novo coronavírus, também não conseguiu voltar a se firmar, panorama que ele vai trabalhar para mudar assim que os campeonatos forem retomados, o que ainda não tem data marcada para acontecer.

Em entrevista ao Esporte Interativo, o camisa 20 explicou o motivo de 2018 ter sido seu melhor ano com a camisa alviverde: “Eu me senti à vontade atuando mais à frente, mas sempre treinei muito e me coloquei à disposição para atuar em qualquer função que o Palmeiras precisar de mim. A diferença de 2018, com certeza, foi a sequência numa posição em que eu estava acostumado e pude ajudar meus companheiros com as assistências”.

“Foi um ano desgastante, eu mesmo joguei 36 partidas do Brasileiro, sendo 34 delas como titular, e posso afirmar que foi meu melhor ano, porque apesar do desgaste, tivemos um bom revezamento e todo mundo pôde jogar bem. Eu tive uma sequência muito boa e pude corresponder como queria” completou.

Querendo recuperar o espaço perdido, Lucas Lima sabe que precisa se reinventar: “Hoje não só o meia, mas em quase todas as posições precisamos ser versáteis, temos que fazer outras funções, como eu mesmo fiz no ano passado. Fiz um gol no Brasileiro, mas fui o meia que mais roubou bolas. Esse conjunto de meia finalizador, bom passador, também precisa ter um bom desarme, um bom lançamento, porque o futebol é muito estudado jogo a jogo e as características serão exploradas de acordo com a necessidade”.

Por fim, projetando a retomada das competições, Lucas Lima admitiu que o Palmeiras terá desvantagem física em relação a times que já estão treinando há algum tempo, como Grêmio, Internacional e Flamengo, mas ele acredita que a força do elenco pode reduzir essa diferença.

“Com certeza sabemos que quem começou antes vai ter uma certa vantagem, mas nós temos um elenco muito forte, profissionais de alto nível, e além disso todos estamos buscando ao máximo manter a forma. Vai depender do dia a dia para voltar ao ritmo, mas temos condições de fazer isso o mais rápido possível para ajudar o Palmeiras” encerrou.

Saudade do Deca? Clique aqui e reveja o especial feito pelo PTD.