Por Eduardo Luiz
10/07/2021, 19h54

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Com o técnico Abel Ferreira suspenso, coube ao auxiliar João Martins comandar o Verdão à beira do gramado e também conceder entrevista após a partida contra o Santos. O profissional explicou a estratégia de ceder a posse de bola ao rival, e destacou a maturidade do time na vitória por 3 a 2.

“Sabíamos que o Santos ia ter mais posse, porque muitas vezes não é vertical. Só queríamos que isto não nos gerasse confusão. Por estratégia, a gente não queria abrir nosso bloco. No segundo tempo, se fôssemos mais eficazes nas transições e fizéssemos o 3 a 0… Mas nos faltou a eficiência para resolver o jogo mais cedo” iniciou.

“Sempre que na primeira parte, como no jogo de hoje (sábado), conseguimos pressionar o adversário, fica mais fácil depois de gerir, mas os jogos nunca estão resolvidos, como vimos hoje. Temos de ficar concentrados até o último minuto e saber jogar ao ritmo dos jogos. Isto mostra maturidade” completou o auxiliar.

Por fim, João Martins falou sobre as saídas de Scarpa e Raphael Veiga ainda no começo do segundo tempo; ele negou que já estivesse pensando no próximo jogo: “Não é pensar no jogo de quarta-feira, mas conseguimos tirá-los do campo porque estávamos ganhando, com bom rendimento, nos portando bem. Foi a opção técnica que tivemos”.

O próximo compromisso do líder Palmeiras pelo Brasileirão será no domingo (18/7) contra o Atlético-GO, em Goiânia. Antes, porém, o time enfrentará a Universidad Católica, no Chile, pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores. A partida será disputada às 19h15 de quarta-feira (14/7).