Por Catedral de Luz
23/02/2022

(Foto: Reprodução)

Deixar claro meu ponto de vista é um dever deste colunista.

Confesso a quem possa interessar que o “assessor em comunicações” de Leila Pereira, atual mandatária da SEP, não tem a minha simpatia.

Não que o personagem epigrafado precise de minhas bênçãos, mas sua vida pregressa não foi cultivada dentro de um convento de monges franciscanos.

Porém, ele está entre nós! Para aceitá-lo, como diria o amigo Conrado, “é preciso que Olivério convença a coletividade alviverde”.

Afora essa rusga não menos importante, o canal aberto à Mídia Palestrina por parte do clube alviverde é um sinal de boa fé – até a próxima página, certamente –. Explico.

Futebol pede dinâmica e não pode ser administrado pela frieza numérica. Não é conto de fadas, onde todos vivem felizes eternamente. Infelizmente – ou não! –, alguém tem que perder. Até na “Terra do Nunca”.

Assim sendo, a gangorra do céu e inferno é natural – principalmente na SEP –. Conviver com a crítica é um exercício de reflexão contínua.

A sobrevivência depende, entre outros atributos, da criatividade que permeia a estrada dos diferenciados.

Não seria oportuna a hora de humildemente olhar ao redor e reconhecer o erro cometido?

Por que não?

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História… Amizades… Esposa e Filha.
Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.