Por Catedral de Luz
21/06/2021

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Sou a favor do profissionalismo extremo, onde os envolvidos estejam cientes de suas responsabilidades.

Sendo assim, desde já não partilho das atitudes tomadas por “Lucas Lima” e “Patrick”, embora diferentes na causa.

Em época de pandemia, onde o “modus operandi” de cada um é medido metro por metro, você não pode sair de casa e curtir a noite como se ela interpretasse o fim dos tempos e desrespeitasse todas as medidas de segurança. Afinal, no futebol mais precisamente, pois é esse o foco abordado, um campeonato cai por terra quando fazemos escolhas erradas.

Com a mesma intensidade, eu critico “os fiscais da moralidade”, pois não se estanca a sangria ao abrir a ferida. Àqueles que querem colaborar, simples será a denúncia. A responsabilidade do julgamento, multa e afastamento cabem ao clube. Simples assim: “A roupa suja tem lavanderia”.

Com a mesma intensidade é fundamental deixar o exibicionismo pessoal fora das quatro linhas e subtrair do uniforme alviverde o uso desnecessário de brincos. Acontece que o episódio só não foi uma tragédia porque a sorte flertou com os esmeraldinos. Foram cinco ou sete minutos de cirurgia emocional, com um comitê extraoficial tentando desatarraxar uma maldita vaidade das orelhas de um jogador.

Ademais, quase passou batido, a “S.E.P.” venceu seu adversário e os erros cometidos durante o jogo deste final de semana. Fora de sintonia, a calibragem do time esmeraldino foi aos poucos voltando a níveis suportáveis e possíveis para uma vitória. Sinal de alerta para quando for um embate de maior dificuldade.

Apesar da acidez do texto, a confiança continua, porque entre a tempestade e a bonança há o bom senso de uns somados ao trabalho de outros, embora certo conselheiro resolva disseminar fofoca de bastidor.

Aliás, nem sempre fofoca é atributo de homem de caráter e espelha a verdade dos fatos.

Estamos conversados?

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História… Amizades… Esposa e Filha.
Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.