Por Eduardo Luiz
14/09/2021, 19h41

(Foto: Reprodução)

Numa decisão estapafúrdia, embasada em argumentos esdrúxulos, o presidente do STJD indeferiu a liminar impetrada por 17 clubes da Série A para vetar a presença de público em jogos do Flamengo enquanto todos participantes não puderem receber torcida de volta em seus estádios, cumprindo assim acordo estabelecido e assinado no Conselho Técnico realizado antes do começo do Brasileirão.

Otavio Noronha chegou a citar o jogo de 2019 entre Palmeiras x Flamengo, no Allianz Parque, quando a Polícia Militar e o Ministério Público Estadual vetaram a presença da torcida visitante em função de ameaça de violência por parte de torcedores da equipe carioca.

O presidente do STJD ignorou completamente os contextos de cada situação (violência x pandemia), e argumentou: “Tal ato (em 2019) relativizou, mas não vulnerou o princípio da isonomia”.

Defendendo a quebra de isonomia, Noronha ainda completou: “A quadra histórica pela qual estamos passando, impõe a adoção de medidas excepcionais em prol da retomada paulatina e segura do público aos Estádios”.

Consequências: de acordo com o jornalista Danilo Lavieri, do UOL Esporte, os clubes cogitam suspender a próxima rodada do Brasileirão como forma de protesto, já que em tese o Flamengo está liberado para receber o Grêmio com torcida no Maracanã. Nos próximos dias haverá uma decisão.