Por Eduardo Luiz
21/11/2020, 23h12

Weverton: 5,0
Se tivesse pulado com o braço trocado, talvez alcançasse a bola.

Emerson Santos: 5,5
Atuação correta.

Gómez: 5,5
Meio deslocado por dentro, mas não chegou a comprometer.

Renan: 6,0
O melhor do sistema defensivo.

Marcos Rocha: 4,0
Não se encontrou no 3-5-2. Não apoiou e não ajudou a marcar.

Ramires: 3,0
Não correu, não marcou e não atacou.

Patrick de Paula: 6,5
Fez um grande jogo e levaria um 7,5 se não tivesse vacilado nos acréscimos, primeiro ao tentar enfeitar uma chance clara de gol, depois ao deixar Miguel, autor do gol do Goiás, conduzir a bola livre até o arremate.

Lucas Lima: 4,0
Até sair no final do primeiro tempo, não foi notado em campo.

Gabriel Menino: 3,5
Entrou muito mal. Lento, errando passes e segurando o jogo. Que seja falta de ritmo.

Mayke: zero
Comprometeu a atuação do time com a expulsão burra (e merecida) ainda na etapa inicial.

Marcelinho: 5,5
Começou bem, mas foi caindo de produção até sair para Abel (tentar) arrumar o time.

Esteves: 4,0
Não atacou e marcou mal.

Luiz Adriano: –
É um atacante muito bom, mas não é regular e frequenta muito o DM. Voltava de lesão e lá vai de novo para o estaleiro…

Fabrício: 4,0
Com o time jogando no contra-ataque e tendo apenas ele de atacante, morreu de fome, já que não é veloz.

Luan: –
Entrou no fim. Viu o time sofrer o gol (sem participação) e perdeu a chance do empate no último lance.

Abel Ferreira: 5,0
Sem 20 jogadores, precisou mexer na disposição tática do time, e isso com apenas 1 treino. Diante das circunstâncias do jogo, mesmo sendo contra o lanterna, o empate seria um resultado aceitável, mas o castigo veio no fim. Mesmo assim, poderia ter tentado coisas diferentes ao longo dos 90 minutos, como tirar Ramires, não Lucas Lima, ter deixado o atacante de velocidade no jogo para explorar os contra-ataques, e não ter colocado um zagueiro no lugar do único atacante nos minutos finais. De qualquer jeito, tem crédito. E esse não é o time que vai trabalhar ao longo das competições.