Por Eduardo Luiz
02/08/2021, 00h01

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Palmeiras e Grêmio devem definir entre hoje e amanhã os detalhes finais da transferência do atacante Miguel Borja para a equipe gaúcha. O negócio será por empréstimo.

Conforme tinha avisado o diretor de futebol Anderson Barros, o Verdão tinha como prioridade negociar o colombiano, mas em definitivo. Como nenhuma proposta nesse sentido chegou, a diretoria concordou em liberar o atacante por empréstimo, mas impôs várias condições. Confira abaixo as principais.

  • Empréstimo até dezembro de 2022;
  • Grêmio pagará 1 milhão de dólares (R$ 5,2 mi) pelo empréstimo;
  • Grêmio pagará integralmente o salário de Borja (aproximadamente R$ 500 mil);
  • Ao final do empréstimo Grêmio terá opção de comprar 50% dos direitos por 3,5 mi de dólares;
  • Grêmio tem que liberar o jogador em caso de proposta do exterior;
  • Borja prorroga seu contrato com o Palmeiras pelo mesmo período do empréstimo.

Apesar de ter adotado um discurso otimista na sua reapresentação, dizendo que voltava ao clube mais maduro e pronto para ser aproveitado, Borja não estava nos planos da comissão técnica, que conta com outros 7 atacantes, sendo dois centroavantes – Deyverson e Luiz Adriano. O camisa 10, inclusive, também esteve na mira do Grêmio, mas dele o técnico Abel Ferreira não abriu mão.