Por Catedral de Luz
10/11/2021

(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

A S.E.P. joga nesta quarta-feira frente ao C.A.G., no Allianz Parque.

Embora as chances de conquista do Brasileiro sejam envolvidas em dúvidas motivadas pela vantagem alcançada pelo galo mineiro, vale prestigiar os esmeraldinos. Afinal, o time alviverde evoluiu e seus articuladores são responsáveis. Entre eles, Raphael Veiga.

Raphael Veiga é o clássico exemplo do amadurecimento tardio. Somente aos 25 anos ele encontrou uma técnica constante, e que não oscile.

Vestindo a camisa 23, Raphael Veiga continua a surpreender os céticos torcedores que o consideram ineficaz para um meio de campo que já contou com Alex e Valdívia, para não falar do Divino da Guia e de Djalma.

É bom lembrar, porém, os números expressivos do menino que nasceu palmeirense e hoje enverga o manto sagrado palestrino.

Foram 2 gols em 2017, 5 em 2019 e o salto positivo de 15 em 2020. Entretanto, a temporada de 2021 reservou brilhantismo e até agora foram 19. Qual será o limite?

Contudo, Raphael Veiga não é apenas aquele que põe a bola nas redes adversárias. Ele é o artífice das jogadas simples e ao mesmo tempo artísticas, do lançamento perfeito e da temperança com a bola nos pés esperando um momento melhor para passar.

Enfim, Raphael Veiga é aquele que sempre quisemos a sustentar a meia cancha e nunca nos apercebemos de sua existência. Provavelmente por soberba de arquibancada.

Antes que ele parta é bom assisti-lo, porque, infelizmente, sua saída é iminente.

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História… Amizades… Esposa e Filha.
Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.