Por Catedral de Luz, 13/03/2020

Confesso que me assustei depois que uma professora municipal confirmou que seu marido contraiu “o vírus”.

Colega de longa data, esta professora foi afastada de suas atividades laborais e o fato deixou claro que o perigo mora ao lado, quando não na própria casa.

Entretanto, a roda continua a girar e cobrar atitudes de todos. Não há tempo disponível para lágrimas, embora as ressalvas sempre marquem presença, tais como suspender a “3′” rodada de grupos, da “Copa Libertadores”, o que favorece a “SEP” a canalizar atenções ao “Estadual” e garantir desde já a passagem para a próxima fase.

Vamos com os titulares para “Limeira” e na semana seguinte nos prepararemos adequadamente para o grande e tradicional “Derby”.

Mais do que uma “pandemia”, uma vitória palmeirense repercute negativamente diante dos olhos e ouvidos adversários. Já pensou o “gigante” despertar?

Quando progredimos, o velho talento retorna e o “hat-trick” de “LA” apenas afirma a ideia de que o futebol alviverde resiste ao tempo.

E por falar em “hat-trick” guardem bem este nome: “Giovani Henrique”. Apenas “16” anos e as divisões de base da “SEP” e do “Selecionado Brasileiro” contam com ele.

Na estreia do “Brasileiro Sub-17” vencemos o “BFR” (5X0). “Giovani Henrique” marcou “3” e deixou claro que o seu nome será lembrado durante toda a temporada.

Bem, se os acontecimentos reforçam a tese de que juntar as forças – time/torcida – é o caminho, por que não encontrar uma fórmula que barateie o ingresso?

Jogar para “40.000” é melhor do que jogar para “25.000”.

Ilusões de um velho palmeirense? Talvez. Mas eu não sou o único.

(Foto: Cesar Greco/Ag.Palmeiras)

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História… Amizades… Esposa e Filha.
Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.